Atividade física e aposentadoria por invalidez

aposentadoporinvalidezA aposentadoria por invalidez caracteriza-se quando o funcionário fica incapacitado para o trabalho por motivo de saúde ou por acidente de trabalho. Há raríssimos dados na literatura que associam a prática de atividade física com a redução do risco de aposentadoria por invalidez por motivo de saúde.

Um estudo de julho de 2013 investigou se a atividade física está associada às frequentes causas de aposentadoria por invalidez.

Os dados da investigação foram coletados entre os anos de 2000 e 2002. Foram entrevistados funcionários da cidade de Helsinque, capital da Finlândia. Participaram do estudo 4.920 mulheres e 1.355 homens que na época tinham entre 40 e 60 anos de idade. As informações sobre as aposentadorias por invalidez foram obtidas a partir dos registros no órgão do governo finlandês responsável pelo pagamento das aposentadorias no país.

Os participantes foram classificados em diferentes grupos de acordo com as recomendações de atividade física e de acordo com as intensidades das atividades que eles praticavam.

A pesquisa demonstrou que a atividade física está associada ao menor risco de todas as causas de aposentadoria por invalidez em ambos os sexos. O único grupo que exercitava e que não teve redução significativa nos riscos foi o grupo de mulheres que realizavam somente atividades físicas moderadas, mesmo que em quantidade recomendada.

Os que realizavam atividades vigorosas dentro das recomendações exigidas pelas diretrizes tinham o risco de aposentadoria por invalidez claramente reduzido. Isto incluiu o risco de aposentadorias por problemas osteomusculares e mentais.

A pesquisa concluiu que o envolvimento em atividades físicas moderadas e intensas pode ser útil para manter a saúde muscular, esquelética e mental em adultos de meia idade e assim, diminuir o risco futuro de aposentadoria por invalidez.

Outro grande problema é a inserção desta população de aposentados na prática de atividades física após a aposentadoria por invalidez. A qualidade de vida dos aposentados por invalidez tende a ser menor do que a qualidade de vida apresentada por aqueles aposentados por tempo de serviço. A própria aposentadoria por invalidez constitui uma fator que influencia negativamente na qualidade de vida. Aposentados com ocupação após a aposentadoria apresentam melhor qualidade de vida.

A prática de atividade física de forma regular após a aposentadoria esta associada com uma melhor qualidade de vida nessa população através da melhoria da capacidade funcional, do estado geral de saúde, dos aspectos sociais e da saúde mental.

Referências:

Lahti J.; Rahkonen O.; Lahelma E.; Laaksonen M.. Leisure-time physical activity and disability retirement: a prospective cohort study. J Phys Act Health. 2013 Jul;10(5):669-75.

Pimenta, F.A.P. et al. Avaliação da qualidade de vida de aposentados com a utilização do questionário SF-36. Rev. Assoc. Med. Bras., Fev 2008, vol.54, no.1, p.55-60. ISSN 0104-4230

 

Luciano Carlos Fernandes

Professor de Educação Física – CREF 6 / MG – 4812 G
Especialista em Treinamento Desportivo – UFV
Editor do www.educacaofisica.org

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *