Apr 08

Planos e eixos de movimento

ginasticaartisticaO movimento humano é descrito em diferentes dimensões com base em diferentes planos e eixos de movimento. Todos os planos e eixos são definidos em função de um movimento que ocorre em uma dada articulação e todos os movimentos são definidos em função de seus planos e de seus eixos.

Os planos são linhas imaginárias que dividem os segmentos corporais em partes nas quais descrevemos a linha ou área de trajetória de determinado movimento.

Os planos de movimento do corpo são classificados em 3 diferentes tipos: sagital, frontal e transverso.

Os eixos são linhas imaginárias que atravessam os planos de forma perpendicular. É ao redor dos eixos que os movimentos são realizados. São classificados em 3 diferentes tipos: lateral, antero-posterior e longitudinal. Continue reading

Mar 19

Problemas de joelhos em mulheres – causas e recomendações

O priagachamentoejoelhomeiro estudo que publiquei na vida foi sobre mulheres (Pulcinelli and Gentil, 2002) e, desde então, trabalhei bastante com elas, tratando doenças, preparando para competições internacionais ou simplesmente ajudando a melhorar o visual. Além disso, grande parte das minhas pesquisas recentes são dedicas a elas, inclusive as que acontecem nesse momento. E como consequência, vamos aprendendo e entendendo algumas diferenças importantes, fatores que devemos levar em conta na hora de planejarmos nossos treinos, e uma delas é com relação aos joelhos. Continue reading

Feb 11

Agachamento e joelho

agachamentoejoelhoO agachamento é um dos exercícios mais completos que podem ser realizados dentro das academias, pois envolve um elevado número de articulações e músculos, consistindo em um excelente meio de fortalecer a musculatura da coxa, do quadril e outros inúmeros coadjuvantes que atuam na realização do movimento.

Estes e outros fatores levam treinadores e atletas do mundo todo a referirem a ele como o “rei dos exercícios”. Além disso, sua execução é extremamente funcional, pois usamos esse tipo de movimento constantemente em nossas atividades diárias como, por exemplo, sentar e levantar de uma cadeira ou pegar um objeto no chão. Mesmo assim, ainda há quem o proíba ou restrinja seu uso sem uma explicação plausível, principalmente limitando sua amplitude em 90° de flexão dos joelhos. Continue reading

Feb 10

Agachamento e coluna

Na primeira parte do estudo (Agachamento e joelho), ficou claro que o agachamento:

  • Não traz prejuízo para o joelho;
  • Este exercício pode, deve e tem sido usado com fins terapêuticos;
  • As lesões no joelho geralmente são causadas pela combinação de altos volumes de treinamento e técnica inapropriada;
  • As forças tensionais e compressivas desse tipo de exercício estão totalmente dentro das capacidades fisiológicas e articulares.

Na segunda parte, será abordado o tema: agachamento e coluna.

Coluna

A dor lombar normalmente é atribuída à prática do agachamento, o que é pouco provável. Contudo, devemos ressaltar que os mecanismos da dor lombar ainda não estão totalmente esclarecidos e sua causa pode ser uma manifestação que envolve vários fatores. Se os exercícios forem realizados de maneira racional, com técnica correta, o risco de lesão é mínimo.  Continue reading

May 08

Amplitude: a qualidade esquecida

Com o passar do tempo é natural ficarmos afoitos para levantar maiores sobrecargas na sala de musculação, torna-se difícil desvincular o aspecto visível da quantidade de peso de um invisível aspecto qualitativo, que é o estímulo fisiológico.

Isto é muito evidente em praticantes de musculação do sexo masculino, que geralmente abrem mão da técnica correta para utilizar cargas maiores, sendo a amplitude um dos fatores mais afetados. Além da visão quantitativa tem outro aspecto que é muito mais obscuro: o famoso ângulo de 90°.

Esta angulação é usada como limite para praticamente todos os exercícios com sobrecarga, desde agachamento até rosca tríceps, sem que nenhuma.evidência científica corrobore com esta prática. Continue reading

Feb 25

Praticar exercícios na escada faz bem?

escadaVocê já ouviu falar que subir e descer escadas pode ter um valor estético, como tornear as pernas e glúteo, além de queimar calorias? E que descer as escadas provoca uma sobrecarga maior do que subi-las?

O professor do departamento do Aparelho Locomotor, Lúcio Honório Carvalho Junior, ortopedista e traumatologista especializado em Medicina do Esporte explica que, diferentemente dos aparelhos comuns nas salas de musculação, por exemplo, que exercitam a mesma região, nas escadas a atividade usa o próprio peso corporal como contrapeso. Continue reading

Nov 13

O salto com vara. Uma revisão sobre a modalidade

Introdução

O objetivo do salto com vara é tentar saltar o mais alto possível, ultrapassando um sarrafo, usando uma vara. O atleta corre transferindo a energia da velocidade da corrida para o salto. Para evitar lesões, a queda é feita sobre um colchão macio que a amortece.

O salto com vara é uma modalidade bastante complexa. Um bom entendimento da biomecânica do salto com vara é fundamental para o bom desempenho neste esporte. Durante um salto, ocorrem vários eventos em sequências e/ou paralelos e muitos fatores estão associados ao sucesso. Esses fatores referem-se principalmente a velocidade imposta pelo saltador, a energia cinética e potencial do saltador e a energia de deformação armazenada na vara, a força e o torque aplicado pelo atleta, e a projeção da vara.

Embora exista uma vasta literatura sobre o salto com vara, abrangendo diversas áreas como medicina, ciências do esporte, mecânica, matemática e física, a um consenso de que o bom desempenho do salto com vara é basicamente determinado pela troca de energia entre o saltador e vara.

A força aplicada pelo saltador influencia esta troca de energia e, assim, estes fatores devem ser levados em consideração na análise do desempenho. Continue reading

Jun 27

Treinamento funcional e equilíbrio corporal

Identificando os alvos do atleta de futebol para melhor treiná-lo

Do ponto de vista biomecânico voltado ao futebol, todo gesto motor apresenta instabilidade articular, principalmente dos membros inferiores. A corrida, o chute, o salto para um cabeceio, uma disputa de bola, todos esses movimentos dentre os milhares que existem neste esporte apresentam uma complexidade de sistemas corporais interagindo para que o organismo possa melhor executá-lo sem grandes perturbações e com extrema precisão.
Continue reading

Jun 26

Mudança de mochila pode reduzir cansaço de carteiros

Qual o melhor tipo de mochila para o trabalho dos carteiros? Uma pesquisa da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP mostra que a adoção de uma mochila com duas bolsas e um cinto horizontal, ao distribuir melhor a carga no corpo do carteiro, pode reduzir o gasto metabólico e, conseqüentemente, o cansaço. O estudo, que envolveu 49 carteiros de São Paulo, foi feito pelo professor de educação física Germano Mongeli Peneireiro

O pesquisador explica que três tipos de mochila foram testadas em uma esteira instrumentada. “Além da Mochila Lateral Simples (MLS), adotada atualmente pelos Correios, avaliou-se um protótipo de Mochila Lateral com Cinto Pélvico (MLCP) cedido por uma empresa, e uma Mochila Dupla com Cinto Pélvico (MDCP), desenvolvida especialmente para a pesquisa”, conta. “Durante dez minutos, as mochilas eram testadas com uma carga de nove quilos”. Continue reading