Jun 16

Seja ativo nos diferentes estágios da vida…

old_woman_walking… e tenha uma boa saúde para a vida toda.

Comer bem e ser fisicamente ativo é importante em todas as fases da vida, não importa quão jovem ou velho somos.

O fato de nossos corpos precisarem de coisas diferentes nos diferentes estágios de nossa vida, o que comemos e bebemos, os tipos e quantidades de atividades físicas e suas necessidades, podem variar ao longo da vida. As necessidades nutricionais nos primeiros anos de vida diferem, por exemplo, daquelas do período médio da infância, da adolescência e da fase adulta.

No início da vida

Desde o início, alimentação saudável e atividade física fazem uma grande diferença para a nossa saúde. O período da gravidez é um momento muito importante. A mãe deve se manter ativa e se alimentar adequadamente para dar ao seu filho o melhor começo de vida possível.

As alterações fisiológicas decorrentes de uma gravidez sem complicações, não representam nenhuma contraindicação para a prática de atividades físicas, assim como não se espera qualquer tipo de lesão ao feto. Alguns casos apresentam contraindicações relativas e absolutas de origens médicas e ginecológicas que devem ser observadas.  Continue reading

Oct 21

6 Maneiras de Aplicar Conceitos de Saúde nas Aulas de Educação Física

conversasaudeA sala de aula de educação física é um ótimo lugar para incorporar uma série de conceitos de educação em saúde, mas queremos ter cuidado para não tirar o componente atividade física da classe. Isto significa que precisamos ser criativos na maneira em que nós ligamos as atividades que fazemos em sala de aula com aplicações do mundo real que os nossos alunos precisam.

Abaixo você encontrará uma lista de sugestões e recursos para seis grandes áreas em que podemos incorporar os conceitos de educação para a saúde em nossas aulas de educação física . Continue reading

Apr 02

2 de abril – Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo

Chamamos de Autismo a condição clínica determinada por uma configuração neuropsicobiológica, que tem como resultado dificuldades na interação social, no desenvolvimento da linguagem e na abertura para interesses do mundo ao redor.

Para informar e conscientizar sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), o dia 2 de abril foi eleito como o Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo, uma data para esclarecer e diminuir o preconceito em relação ao tema.

Aug 31

Por que é difícil brincar na escola?

Pesquisa mostra que brincadeiras foram esquecidas no ensino fundamental

efescolarUma reflexão sobre o nome: ensino fundamental. Porque fundamental é aprender a ler e a escrever, fundamental é decifrar parte dos códigos até então reservados ao mundo adulto. Fundamental pode ser copiar o que está na lousa, fazer a lição de casa.

Brincar não é fundamental, ou pelo menos não é algo bem-vindo no ensino fundamental. Foi o que constatou a mestranda Luciana Dias de Oliveira na dissertação apresentada a Faculdade de Educação Física (FEF) da Unicamp. A pesquisa foi realizada em duas escolas municipais da cidade de Indaiatuba, próximo a Campinas, a partir de entrevistas com coordenadores de ensino e professores de duas turmas de primeiro ano, além de períodos de observação de aula. Continue reading

Apr 25

Educação física escolar: novas perspectivas em saúde pública

O sedentarismo é visto atualmente como um problema mundial de saúde (1). Entre as razões que levam à inatividade, um dos possíveis fatores é o desconhecimento sobre como se exercitar, as finalidades de cada exercício, limitações de alguns grupos populacionais e percepções distorcidas em relação aos benefícios do movimento. (1) Os motivos que levam ao desconhecimento vão da falta de vontade própria em buscar informação até a inexistência de programas governamentais de esclarecimento, passando pelos profissionais de saúde que, muitas vezes, ignoram o valor do exercício físico e/ou não são efetivos no incentivo à prática regular de exercícios físicos (1). Continue reading

Jul 26

Observação do brincar evidencia ação motora e social infantil

child_playingObservando crianças em uma brinquedoteca pode-se concluir muito a respeito de suas ações motoras e interações sociais. As que têm de 4 a 5 anos, por exemplo, preferem manipular brinquedos a se locomover. Em estudo de mestrado realizado na  Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP, a professora de educação física Deise de Oliveira Rezende também verificou diferenças entre o comportamento motor dos meninos e das meninas e garante que algumas delas têm influência social. Continue reading

Jul 18

TRF decide: Aulas de Educação Física só podem ser ministradas por Profissional de Educação Física

1004612_639949782681784_1842703755_nTRF decide: Aulas de Educação Física só podem ser ministradas por Profissional de Educação Física

O CONFEF, no ano de 2011, propôs ação judicial contra o art. 31 da resolução CNE/CEB n° 07/2010, que possibilitava ao professor regente de referência da turma – aquele com o qual os alunos permanecem a maior parte do período escolar – assumir as aulas de Educação Física nas escolas.

Defendendo o direito dos alunos de serem atendidos com qualidade, foi proferida sentença judicial favorável ao Sistema CONFEF/CREFs determinando a revisão do art. 31, da Resolução CNE/CEB n° 07/2010.

A sentença declara a necessidade da presença de Profissional de Educação Física para ministrar aulas de Educação Física e ou/recreação ou qualquer outra atividade que envolva exercícios físicos e esportes, em conformidade com a Lei 9.696/98 e com a Constituição Federal.

Trata-se de mais uma atuação competente, eficiente e ética em defesa da sociedade e da valorização do Profissional de Educação Física.

VITÓRIA DO CONFEF EM DEFESA DA SOCIEDADE!

Para ler a sentença do TRF, clique no link: http://www.listasconfef.org.br/arquivos/Sentenca.pdf

Autor: Comunicação – CONFEF

Fonte: www.confef.org.br

Jun 30

A Criação de Jogos no Contexto Escolar

Introdução

Este trabalho está sendo desenvolvido desde 2003, em uma escola municipal do Rio de Janeiro, com turmas de 5ª a 8ª séries, com o intuito de desenvolver o potencial criativo do educando, ampliar sua visão de mundo, trazer para dentro da escola sua cultura corporal e incentivá-lo a desenvolver a sua capacidade produtiva, levando-o a perceber que não basta receber passivamente informações, que precisam trabalhá-las, vivenciá-las, para que se tornem conhecimento.

A criação de jogos desafia o aluno a se superar, mesmo que no início não se sinta à vontade, aos poucos vai se envolvendo com a proposta e busca em suas experiências subsídios para construir sua concepção de jogo. Passa a se sentir dono daquela idéia, ou seja, percebe que está no domínio do processo, mesmo que esteja trabalhando em um pequeno grupo. É neste estágio que se explica ao educando através de conversas informais, que ele também pode dominar todo seu processo de aprendizagem, pois o mesmo envolvimento, interesse e participação efetiva são necessários às outras disciplinas. Continue reading

Jun 28

Cuidados específicos com o corpo nas práticas esportivas: hidratação, vestuário, alimentação

Presenciamos, nas praças ou avenidas das cidades, pessoas de todas as idades fazendo caminhada, alongando, correndo ou pedalando. Apesar de ser uma iniciativa saudável, falta a muitas delas informações e conhecimentos básicos sobre como realizar essas atividades. Correm descalças no cimento, em ruas poluídas, em horários inapropriados, com excesso de agasalhos ou até mesmo em jejum. Continue reading

Jun 27

Educação Física na Sala de Aula

Aprendendo a sentar

Tenho bastante dificuldade com cálculos. Parece que fiquei traumatizado com meus professores de matemática, e julgo que o principal responsável foi o primeiro deles, no início do ginásio. Chamava-se Elpídeo, os cabelos sempre desalinhados, a barba por fazer. Usava gravatas listradas e folgadas, o primeiro botão da camisa desabotoado, tudo isso encimado por um paletó cinza puído nas mangas e na gola. Ele chegava e começavam os castigos. Nada aprendi de sua matéria, mas aprendi a detestar aquela disciplina. Levei anos e anos até reconhecer o valor que a matemática tem na vida de todos nós. Continue reading