Jun 24

Avaliação de características de atletas de forma segmentada pode desperdiçar talentos

Atletas femininas de vôlei seriam cortadas da seleção brasileira se tivessem suas aptidões avaliadas de forma individual. Uma pesquisa da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP verificou que o talento dessas jogadoras é definido pelo fenômeno da compensação, no qual algumas características ruins são compensadas por outras melhores, resultando num bom desempenho da atleta.”Uma baixa estatura em relação à média, por exemplo, pode ser compensada por uma boa impulsão vertical”, explica o preparador físico de vôlei Luiz Roberto Rigolin da Silva. Em sua pesquisa de doutorado ele comparou jogadoras da seleção brasileira adulta e infanto-juvenil com uma média dos escores de atletas de alto nível. Segundo ele, boa parte delas têm médias menores, apesar de seu excelente desempenho em quadra. Continue reading
Jun 22

A importância da quantificação do treinamento em atletas de Voleibol

Quando falamos em treinamento físico, pensamos em melhoria das capacidades funcionais (capacidade física) e morfológicas (composição corporal). Para que isto aconteça devemos estar ciente das variáveis de treinamento como volume e intensidade.

 Esta relação volume x intensidade só é controlada quando quantificamos as sessões, ou períodos de treinamento. Esta quantificação é controlada por número de séries, repetições, número de exercícios realizados intervalos e cargas (peso).

 No voleibol de alto nível, a preparação física se inter-relaciona com a parte técnica e tática. Um exemplo a ser mencionado é o treinamento pliométrico, onde este se refere a uma mistura complexa dos efeitos do treinamento dinâmico negativo e do treinamento dinâmico positivo (WEINECK, J. 2003), sendo este treinamento realizado através de saltos. Continue reading

Jun 21

Pesquisador estuda alterações de estado de ânimo em jogadores de vôlei

Jogadores de voleibol apresentam estados de ânimo diferentes em função da posição que desempenham na equipe, ou seja, o levantador é emocionalmente muito diferente do atacante. “Os atacantes sofrem maior variação nos seus estados de ânimo. E os homens mostraram mais variações nos relatos de ânimo do que as mulheres”, relata o pesquisador Marco Antônio Di Bonifácio, autor da pesquisa de mestrado sobre o tema realizada na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP. “Por outro lado no decorrer da competição, as mulheres foram mais sensíveis às mudanças emocionais do que os homens.” Continue reading

Aug 30

Magnésio e voleibol

Adequação nutricional do magnésio pode ajudar no salto de atletas no voleibol

Em pesquisa realizada na FCF, os jogadores mais bem nutridos neste aspecto pulavam, em média, 7,83 centímetros mais alto que aqueles cuja nutrição estava deficiente. Próximo passo é induzir suplementação.

Em esportes como o voleibol, em que poucos centímetros na estatura ou no salto dos atletas podem decidir partidas, a adequação na nutrição de magnésio vale muitos pontos. Isso porque ela pode estar associada com o desempenho dos esportistas na altura de seus pulos, conforme sugeriu o estudo de mestrado apresentado pela nutricionista Luciana Setaro à Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da USP. “No período competitivo, os atletas que excretaram mais magnésio na urina saltaram, em média, 7,83 centímetros mais alto que aqueles com as piores excreções”, afirma. Continue reading