Dec 12

Armadilha Aeróbica

exerciseereducaoapetiteParadoxalmente, a obesidade tem aumentado ao mesmo tempo em que aumenta a adesão aos programas de atividade física. E o fato das pessoas não emagrecerem mesmo praticando exercícios, traz alguns questionamentos a respeito das direções dos programas atuais de emagrecimento e suas bases.

Apesar da má adesão por longos períodos ser um problema, ela não parece ser o único fator de insucesso dos planejamentos que objetivam a redução de peso em obesos e sobrepesados (Finley et. al. 2006). Algumas outras armadilhas parecem estar escondidas nesses programas, e é necessária uma visão um pouco mais critica e menos submissa para observa-las. Continue reading

Sep 25

Musculatura esquelética pode ser prejudicada por excesso de peso

jornadanoturnaeobesidadeExperimentos realizados na Escola de Educação Física e Esportes (EEFE) da USP mostram que a obesidade, além de todas as suas conhecidas consequências, pode também causar prejuízos à musculatura esquelética. O estudo de iniciação científica foi desenvolvido por João Lucas Penteado Gomes, que integra o Laboratório de Bioquímica e Biologia Molecular do Exercício Físico da EEFE.

De acordo com o pesquisador, que é formado em Educação Física pela EEFE, pelo menos 13% da população mundial apresenta algum grau de obesidade. Ele ainda revela que esse número tende a crescer: “Existem projeções apontando que metade da população será obesa até 2030″, avisa, ressaltando que “a obesidade leva a diversos problemas de saúde pública, como doenças crônicas, diabetes, hipertensão e câncer, mas também é um problema sistêmico e afeta diversos órgão e tecidos”. Continue reading

Aug 09

Exercício intenso versus exercício moderado, perfil lipídico e níveis de adiponectina

13898784-illustration-of-an-overweight-boy-exercisingA adiponectina é um hormônio proteico que modula vários processos metabólicos que inclui a regulação glicêmica e o catabolismo lipídico. É secretada pelo tecido adiposo e seus níveis plasmáticos estão inversamente relacionados com o percentual de gordura corporal. Baixas concentrações de adiponectina estão diretamente associadas ao desenvolvimento de doenças relacionadas à obesidade.

Alguns estudos relacionam sua concentração de forma inversa com patologias como diabetes, hipertensão e problemas cardiovasculares. Um decréscimo nos níveis plasmáticos de adiponectina tem sido relacionado diretamente com a presença da resistência à insulina. Além disso, a adiponectina apresenta um efeito protetor para o organismo apresentando um efeito anti-inflamatório.

Outros estudos porém relatam que não existem evidências consistentes de que as intervenções destinadas a aumentar os níveis de adiponectina vai melhorar a sensibilidade à insulina ou risco de diabetes tipo 2.

Continue reading

Jul 09

Iniciando um programa de atividades físicas

fitnessUma das melhores coisas que você pode fazer para sua saúde é iniciar um programa regular de condicionamento físico.

Sabe-se que a atividade física ajuda na prevenção e no tratamento dos fatores de risco para doenças cardiovasculares, entre elas as doenças coronárias. Além disso, muitos outros benefícios podem ser adquiridos com a prática de exercícios físicos regulares como; melhoraria do equilíbrio e coordenação, controle do peso corporal, melhoria da capacidade funcional, fortalecimento muscular e ósseo e até mesmo aumento da autoestima.

Todos estes benefícios são acessíveis a todos, independente da idade, do sexo e da capacidade física inicial. Continue reading

Jul 08

Aeróbio em jejum

aerobicsO emagrecimento é sem dúvida um dos principais objetivos das pessoas que iniciam a pratica regular de exercícios físicos. Mesmo os que não estão obesos ou com sobrepeso por vezes recorrem a alguma estratégia para eliminar gordura e ficar com o corpo “trincado”, “definido”, “sarado”, “rasgado”, etc.

Uma das estratégias mais polêmicas é o chamado aeróbio em jejum (AEJ), também conhecido pelo termo “aerobiose”. Basta ver a enxurrada de tags que inundou as redes sociais, com pessoas postando as mais diversas imagens realizando e incentivando essa prática.
Continue reading

Jun 28

10 Coisas que Você Precisa Saber Sobre Atividade Física

melhoranutricionalidosoConheça os benefícios da realização de exercícios no 10 Coisas que Você Precisa Saber Sobre Atividades Físicas. Lembrando que o sedentarismo é uma das principais causas dedoenças cardiovasculares, diabetes, obesidade e outras doenças crônicas não transmissíveis.

Confira, então, as 10 coisas que você precisa saber sobre atividade física:

  1. A prática de exercícios, de intensidade moderada, durante meia hora por dia é suficiente para que o cidadão deixe de ser sedentário. Estes trinta minutos podem ser contínuos ou divididos em três períodos de 10 minutos cada.
  2. Quando se fala em exercícios, o mais importante é que você pratique alguma atividade que se adapte ao seu estilo de vida e que seja do seu agrado. Caso contrário, são muitas as chances de interrupções.
  3. Pequenas modificações no hábito diário – como subir escadas, saltar do ônibus um ponto antes, passear com cachorro, varrer, cuidar do jardim, lavar o carro, etc. – podem ajudá-lo a movimentar mais e servir como um estímulo para o início de uma atividade física diária.
  4. Os efeitos benéficos da atividade física ocorrem para as pessoas que se exercitam com regularidade. Aqueles com IMC entre 25 e 30 (sobrepeso), nestas condições, podem ter um risco menor de desenvolver diabetes e outras doenças metabólicas do que os sedentários.
  5. De acordo com o United States Departament of Health and Human Services, é importante os adultos pratiquem duas horas de atividades anaeróbicas (musculação localizada), por semana, além dos 30 minutos de caminhada intensa por dia. Nos casos de pessoas com diabetes, hipertensão, obesidade e pessoas com problemas no metabolismo ósseo, por exemplo, é preciso ter um cuidado especial na escolha dos exercícios a praticar. Nestes casos, é imprescindível o acompanhamento de um profissional.
  6. 1 minuto de atividade física intensa é compatível com 2 minutos de atividade moderada. Caminhada em ritmo acelerado, hidroginástica, passeio de bicicleta e jogo de tênis em dupla são alguns dos exemplos para atividade moderada. Já a corrida, a natação, o basquete e a corrida de bicicleta são consideradas intensas.
  7. Durante a prática de um exercício físico é possível que haja uma redução na taxa de glicose da pessoa. O indicado, principalmente para pessoas com diabetes, é que carreguem consigo algum tipo de carboidrato de rápida absorção.
  8. As atividades físicas melhoram a sensação de bem-estar, diminuem a ansiedade e a probabilidade de depressão, por liberarem a serotonina (hormônio conhecido como “molécula da felicidade”).
  9. Dentre os benefícios da prática de exercícios estão: a diminuição do apetite, a melhora do humor, a perda de gordura (emagrecimento), o enrijecimento dos músculos, a melhora da imunidade e o retardo do envelhecimento.
  10. Em uma recente pesquisa feita pelo Overseas Development Institute, na Grã Bretanha, mostrou que o número de adultos obesos cresceu quatro vezes nos últimos 30 anos, em países em desenvolvimento, ou seja, são mais de 1 bilhão de pessoas acima do peso.

Texto: Flavia Garcia


Referências: Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana de Saúde, Programa Agita Mundo e o Departamento de Saúde, Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica e Serviços Humanos dos Estados Unidos.

Fonte: www.endocrino.org.br

Jun 13

Treino combinado atenua obesidade

treino combinadoDoze semanas de treinamento, sem intervenção nutricional, ajudaram a reduzir a gordura corporal

A combinação de treinamento com pesos e treinamento aeróbio, conhecido como treinamento combinado ou treinamento concorrente (TC), pode ser uma boa alternativa para adolescentes com excesso de peso. Foi o que apontou estudo de doutorado de Wendell Arthur Lopes defendido na Faculdade de Educação Física (FEF).

Doze semanas de treinamento, sem intervenção nutricional, ajudaram a reduzir a gordura corporal, aumentar a massa livre de gordura e melhorar a resistência à insulina e o estado inflamatório crônico de baixo grau.

O trabalho, orientado pela docente da FEF Cláudia Regina Cavaglieri, foi feito com um público feminino: 48 adolescentes que estudavam no Colégio da Polícia Militar (CPM), uma escola pública de Curitiba, Paraná. A iniciativa envolveu parceria entre a FEF da Unicamp e o Departamento de Educação Física da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Continue reading

May 26

Exercícios físicos combinados restauram funções de obesos

fitnessQuarenta por cento da população nos Estados Unidos é obesa e, no Brasil, o percentual ultrapassa os 20%. Até 2025, estima-se que esse percentual poderá exceder os 25%, atingindo um contingente de 50 milhões de brasileiros.

Problema de saúde pública, a obesidade, quando alcança indivíduos na meia-idade, eleva os riscos cardíacos, muito em função dos efeitos do envelhecimento. Deste modo, os obesos ainda têm que lidar com alterações do controle cardíaco (as quais podem aumentar o risco de doenças cardiovasculares – DCV) e com problemas no sistema circulatório: nos vasos sanguíneos e coração. Continue reading

Feb 08

HIIT e doenças cardiovasculares

fitnessSíndrome metabólica (SM), é o conjunto de fatores fortemente associados a doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2, são eles: obesidade abdominal, dislipidemia, hipertensão, resistência à insulina e estado pró inflamatório (Grundy et al., 2004).

Segundo Shaw e colaboradores, o aumento da prevalência da síndrome, está associado a maiores índices de mortalidade por doenças cardiovasculares e parece ser influenciada pelo: estilo de vida, fatores genéticos, idade e gênero. É bem estabelecido que a prática regular de exercício físico seja uma estratégia efetiva na prevenção e no tratamento da SM. Continue reading

Jan 05

Emoções negativas influem no consumo de alimento energético

candiesProblemas comuns do cotidiano como questões financeiras, discussões com o cônjuge, traição, preocupações com os filhos e até morte na família e violência doméstica, levam a emoções negativas como angustia, tristeza, ansiedade e, mais que isso, podem levar mulheres a aumentarem significativamente a ingestão de alimentos energéticos.

Esse é o principal resultado de uma pesquisa do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP. Nessas situações, os pesquisadores verificaram que as pessoas não escolhem alimentos doces saudáveis, como frutas, por exemplo, mas preferem os não saudáveis, que na pesquisa foram representados pelo brigadeiro. Continue reading