Jun 21

Como prevenir a obesidade infantil

É consenso que a obesidade infantil vem aumentando de forma significativa e que ela determina várias complicações na infância e na idade adulta. Na infância, o manejo pode ser ainda mais difícil do que na fase adulta, pois está relacionado a mudanças de hábitos e disponibilidade dos pais, além de uma falta de entendimento da criança quanto aos danos da obesidade.

Prevenir a obesidade infantil significa diminuir, de uma maneira racional e menos onerosa, a incidência de doenças crônico-degenerativas. Continue reading

Jun 21

Obesidade pode intensificar o risco de quedas de idosos

Pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP mostra que o desequilíbrio postural, em função do sobrepeso e obesidade, pode ser uma das causas das quedas durante as atividades diárias dos idosos, uma vez que os obesos apresentam menor amplitude de movimento, isto é, eles são mais rígidos.  O estudo aponta que para restabelecer o equilíbrio é exigido um maior torque, na articulação do tornozelo, devido ao acúmulo de gordura na região abdominal.

O educador físico José Ailton Oliveira Carneiro, ao aplicar o Teste Clínico Modificado de Integração Sensorial e Equilíbrio (mCTSIB), num grupo de 46 voluntárias saudáveis. As mulheres foram divididas em outros três grupos: 15 jovens eutróficas, ou seja, com peso considerado normal, com idade entre 18 e 35 anos; 15 idosas eutróficas e 15 idosas obesas, com idade entre 65 e 75 anos. Carneiro observou uma menor amplitude de oscilação postural nas idosas obesas, com maiores evidências em condições sensoriais reduzidas. Isto é, ao serem colocadas em plataforma de madeira (superfície estável) e, em seguida, sobre plataforma de espuma (superfície instável), as idosas obesas apresentaram uma postura mais rígida. Continue reading

Jun 20

Obesidade infantil: prevalência, causas e consequências

Obesidade é definida como acúmulo excessivo de gordura corporal capaz de trazer consequências negativas para a saúde, caracterizando-se como uma doença crônico-degenerativa.  Na atualidade, uma das principais preocupações dos profissionais da área da saúde é que a obesidade, na maioria das pessoas, iniciou-se na infância ou na adolescência. Inclusive, diversos estudos têm demonstrado um aumento considerável na prevalência da obesidade infantil, o que torna o problema ainda mais grave. Pois, além de ser um grande preditor da obesidade na vida adulta, o sobrepeso está associado ao aumento dos riscos de várias doenças.

Dados da Organização Mundial de Saúde demonstram que existem no mundo 17,6 milhões de crianças menores de cinco anos com obesidade. Na faixa etária de seis a 11 anos, o número de crianças com sobrepeso dobrou nas últimas quatro décadas. Nos Estados Unidos, a prevalência aumentou 62%, passou de 16,8% para 27,3%. Já em alguns países europeus, o crescimento foi de 10 a 40% nos últimos anos (WHO, 2004). Continue reading
Jun 20

As razões do sucesso em manter o peso

As representações sociais de cada pessoa influenciam no seu sucesso em manter o peso

O sucesso em manter o peso após o emagrecimento pode ser influenciado pelas representações sociais de cada indivíduo. A conclusão é da nutricionista Andréia Moutinho em seu mestrado Representações sociais do peso corporal: O que e quem o discurso revela, defendido na Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP em fevereiro deste ano. As representações sociais, segundo a pesquisadora, seriam todos os valores, da formação psíquica à ideológica, de uma pessoa.

Ela constatou que as pessoas que mantêm o peso possuem representações sociais “bastante similares acerca do emagrecer e do comer, e que tais representações parecem influenciá-los a continuar mantendo o peso”. De 2001 a 2003, a nutricionista trabalhou com dois grupos. Um com 21 pessoas que obtiveram sucesso em emagrecer e manter o peso. Continue reading

Jun 20

Irisina – mais um possível via para controle de peso pelo exercício

A recente descoberta de uma miocina (proteína secretada pelo músculo) vem causando euforia mundo afora, principalmente por sua promissora ação na perda de peso, regulação do metabolismo glicêmico e gasto energético, todos fatores que contribuem para o controle do diabetes e o tratamento da obesidade (Boström et al., 2012). Com isso, rapidamente revistas de circulação nacional e órgãos de impressa em geral publicaram reportagens sobre os possíveis benefícios desse achado. Mas antes de falar sobre esta miocina cabe entender um pouco sobre os mecanismos que possam proporcionar tais resultados.

A extração de energia dos nutrientes para a ressíntese de ATPs depende de sistemas extremamente refinados e estruturas especializadas para realizar tal função. É sabido que a glicólise e o ciclo de Krebs não produzem muitos ATPs. No entanto, eles produzem vários NADH e FADH2, proteínas carreadoras de elétrons de alta energia que foram extraídos da matéria orgânica. No interior das mitocôndrias, mais especificamente na crista mitocondrial, estas proteínas transportadoras de elétrons, entregam elétrons energizados a um complexo de proteínas especializadas em seu transporte. Durante o transporte os elétrons, prótons localizados no interior da mitocôndria são bombeados para o espaço intermembranas, criando um potencial elétrico positivo em relação ao interior da mitocôndria. Estes prótons bombeados retornam por um complexo enzimático chamado ATP sintetase, havendo ressíntede de ATP (união de ADP + Pi), através de um movimento mecânico (giro) (Pereira et al., 2011). Continue reading

Jun 20

Quanto você pesa?

Estou acima do peso? Preciso emagrecer… Amanhã vou começar uma “dieta”… Emagrecer … Emagrecer … Emagrecer …

Trabalho com exercícios e atividade física há bastante tempo e frases assim escuto todos os dias. As pessoas fazem tudo para reduzir o seu o peso total, porém o baixo peso não representa, necessariamente, uma estética adequada aos valores padronizados socialmente e muito menos critérios de saúde.

“A massa corporal isoladamente não é considerada um bom parâmetro para identificação de excesso ou carência dos diferentes componentes corporais (gordura, músculos, ossos e resíduos) ou ainda para avaliação das quantidades proporcionais desses componentes” (Costa, 2001).

Esse fenômeno pode ser verificado através da compulsão que as pessoas sentem por balança, afinal balanças são colocadas como chamariz nas farmácias, clinicas de estética e até academias e normalmente aqueles que por elas passam sempre se pesam. Essa preocupação acontece porque as pessoas acham que se estiverem com o peso baixo estarão dentro dos padrões, e isso é impressionante, pois elas realmente acreditam nesse paradigma. Continue reading

Jun 20

Exercícios diminuem pressão arterial de crianças obesas

Dieta e exercício diminuem pressão arterial e melhoram condição física de crianças obesas O estudo envolveu 39 crianças obesas. Durante cinco meses, 21 delas se exercitaram três vezes por semana, uma hora por dia. Além de diminuir a pressão arterial, elas perderam peso e aumentaram a capacidade cardiovascular

A prática de exercícios físicos, aliada a uma dieta de baixas calorias (hipocalórica), diminui a pressão arterial e aumenta a capacidade cardiovascular de crianças obesas. O tema foi pesquisado pelo professor de educação física Maurício Maltez Ribeiro, que comparou dois grupos: no primeiro, 18 crianças faziam apenas dieta; no outro, com 21 integrantes, além do controle alimentar havia também a prática de atividades físicas. Nos dois grupos houve uma perda de 10% a 20% do peso total, mas a diminuição da pressão arterial e a melhora na capacidade física só aconteceram nas crianças que se exercitaram. Continue reading

Jun 20

Pesquisa relaciona jornada noturna a sobrepeso

Investigações coordenadas por professora da FCM dedicam-se ao estudo do relógio biológico 

Mesmo indispensável ao bem-estar do paciente internado em hospitais, a atividade noturna pode acarretar efeitos deletérios no organismo dos profissionais de enfermagem, caso não sejam observadas determinadas recomendações. O alerta foi feito pela professora colaboradora da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) Milva Maria Figueiredo De Martino, que há 10 anos dedica-se a pesquisas com foco no trabalhador noturno.

De acordo com a especialista, é fundamental a busca por estratégias que dêem conta de minimizar as conseqüências da vigília durante a madrugada. Para tanto, os estudos caminham no sentido de traçar um perfil deste profissional. “O trabalhador deve respeitar os limites do organismo para um bom desempenho junto aos pacientes”, enfatiza Milva, que é enfermeira. Continue reading

Jun 20

Exercício e Emagrecimento: mitos e verdades

O verão chegou! O calor vai aumentando e a preocupação com o corpo também. Aqueles quilinhos extras adquiridos no inverno precisam ser eliminados a qualquer custo! É como já sabemos, a alimentação balanceada e a prática de exercício físico são as principais maneira de se atingir este objetivo de uma maneira saudável.


Com relação à atividade física, uma das questões que atormenta os freqüentadores dos “templos da malhação” e alguns profissionais da área da saúde, como os profissionais da Educação Física e da Nutrição, é o estabelecimento da intensidade ideal do exercício para o controle do peso corporal.

A construção dos mitos em torno desta questão é sustentada por 3 alicerces, o primeiro seria a dificuldade no entendimento dos sistemas de transferência de energia no organismo, o segundo seria a interpretação equivocada de alguns resultados de pesquisas científicas e o terceiro é o empirismo que norteia a prática da atividade física.

Continue reading

Jun 20

Excesso de peso compromete qualidade de vida em idosas

Excesso de peso em mulheres com mais de 60 anos afeta atividades do cotidiano

Valores mais altos de indicadores como o Índice de Massa Corporal e o Perímetro de Cintura representam maior comprometimento do aspecto físico da qualidade de vida, atingindo até as atividades mais simples do dia-a-dia

Em mulheres idosas, quanto mais altos os valores de alguns índices antropométricos (medidas corporais), maior o comprometimento da realização de atividades físicas, mesmo as mais cotidianas – como varrer a casa, caminhar alguns quarteirões e subir escadas.

O resultado é de um estudo inédito no Brasil que relacionou a antropometria à qualidade de vida. A pesquisa avaliou 416 mulheres da cidade de São Paulo, com idade a partir de 60 anos. De acordo com o professor de educação física Mauro Ferreira, que realizou o estudo na Faculdade de Medicina (FM) da USP, a maior parte das pesquisas que existem nessa área são sobre a população mais jovem. Relacionadas a mulheres idosas, há apenas três – e internacionais. “Embora tenha sido feita em outros países, essa relação pode se modificar de acordo com o local”, explica. Continue reading