Jun 29

Musculação diminui a lipodistrofia em pacientes com HIV

Uma doença comum entre os portadores do vírus HIV é a lipodistrofia, que é caracterizada pela distribuição irregular de gordura no corpo, que causa o acúmulo ou a perda da mesma em algumas áreas. Para combater essa doença, 7 pacientes diagnosticados foram submetidos à exercícios físicos de força, como parte de uma pesquisa defendida na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP. Ao fim das sessões, tanto a lipodistrofia quanto o colesterol alto e os triglicérides apresentaram melhora.

O autor da pesquisa, o educador físico Pedro Pinheiro Paes Neto, conta que, atualmente, com o uso dos antirretrovirais, os pacientes vivem mais e melhor com o vírus da AIDS, mas o uso prolongado da medicação apresenta efeitos colaterais, como a lipodistrofia. Além disso, é comum a taxa de colesterol alto e triglicérides. Pelo fato da lipodistrofia se tratar de uma má distribuição de gordura no corpo, o educador pensou no exercício como maneira de combate à doença, a fim de verificar a relação entre a atividade física e as variáveis negativas alteradas pelo antirretroviral. Continue reading

Apr 29

Cesariana contribui para obesidade abdominal

womanEstudo na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP comprova que o parto cesariano é um fator de risco para a obesidade em adultos jovens, se comparado com os nascidos de parto normal. Segundo a pesquisadora Denise Nascimento Mesquita, uma das explicações para essa conclusão é que as mudanças na microbiota intestinal induzidas pela cesariana é que aumentam esse risco.

“Fatores ambientais, genéticos, fisiológicos e comportamentais sempre foram considerados riscos para a obesidade em adultos jovens. O que conseguimos identificar pela primeira vez, é que a cesariana também pode contribuir para a obesidade abdominal e subcutânea na idade adulta, e não somente para a obesidade total medida pelo índice de massa corporal, como já fora demonstrado em outro estudo com essas mesmas pessoas”. Continue reading

Apr 29

Varizes

As varizes são veias superficiais anormais, dilatadas, cilíndricas ou saculares, tortuosas e alongadas, caracterizando uma alteração funcional da circulação venosa do organismo, com maior incidência no sexo feminino.

As principais queixas clínicas dos pacientes são: dor tipo “queimação” ou “cansaço”, sensação das pernas estarem pesadas ou ardendo, edema (inchaço) das pernas, principalmente ao redor do tornozelo, que, frequentemente, melhoram com a elevação dos membros inferiores e agravam-se no fim do dia, quando se permanece por longo tempo em pé ou sentado, no calor, nos períodos próximo ou durante a menstruação e também durante a gravidez.

Não existe nenhuma relação estabelecida entre a formação de varizes e depilação ou uso de salto alto, assim como não há influência com relação a carregar peso. Subir escada pode ser considerado até um exercício físico, portanto, ajuda a incrementar o retorno venoso. Continue reading

Apr 27

Exercícios físicos auxiliam obesos após cirurgia estomacal

Com ajuda de exercícios físicos aeróbicos (caminhada e/ou corrida), um grupo de onze mulheres que passaram por cirurgia de redução do estômago (gastroplastia) conseguiu perder entre 8,2 e 15 quilos (kg) em três meses. O estudo da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP acompanhou os efeitos dos exercícios em mulheres obesas que se submeteram a cirurgia um ano e meio antes dos testes. Após 12 semanas de treinamento, quatro mulheres apresentaram a classificação de Índice de Massa Corporal (IMC) normal. Continue reading
Mar 30

Estilo de vida sedentário é fator de risco à saúde

Atividade física reduz o desenvolvimento de várias doenças

A inatividade física é reconhecidamente um dos importantes fatores de risco para as doenças cardiovasculares (DCV). O estilo de vida sedentário, assim como o tabagismo, a hipertensão arterial e a dislipidemia compõem os fatores de risco causadores das principais doenças cardiovasculares, principal problema de saúde atual. A idéia da relação entre atividade física e saúde não é recente: foi mencionada pelos filósofos gregos e romanos.

Entretanto, somente a partir dos anos 50, quando se pesquisou quais doenças atingiam os aposentados motoristas de ônibus de Londres comparadas com as dos carteiros, os motoristas tinham o dobro de doenças do coração do que os carteiros. Vários outros estudos seguiram a linha de comparação de várias profissões, entre estas, estivadores das docas de Nova York comparados com os escriturários das docas, também a diferença foi de mais doenças cardíacas entre os trabalhadores de escritório. Continue reading

Mar 29

CLA (Acido linoléico conjugado)

claCLA é um ácido graxo poliinsaturado natural, encontrado em produtos lácteos (grande parte na gordura do leite) e carne de ruminantes (bovinos, bubalinos, ovinos e caprinos), as quais representam as duas maiores fontes de CLA na alimentação dos seres humanos. Pode-se encontrá-lo, também, em carne de cordeiro, na vitela e em menor grau na carne de suíno, frango, peru e em algumas fontes vegetais (JIANG et al, 1996; STEINHART, 1996; IP et al, 1999).

Acido linoléico conjugado é um termo que descreve os isômeros geométricos do ácido linoléico. Ele é formado no rúmen, como primeiro intermediário da bio-hidrogenação do ácido linoléico, pela enzima ácido linoléico isomerase, proveniente da bactéria anaeróbica ruminal Butyrivibrio fibrisolvens. Portanto, uma explicação plausível em relação à quantidade de CLA ser maior nos ruminantes é que a hidrólise da gordura dentro do rúmen proporciona maior produção de ácido linoléico. Continue reading

Mar 29

A ‘bomba’ que atinge o coração de jovens

Professora da FOP investiga as relações de causa e efeito do uso de anabolizantes

Quem hoje em dia não conhece pelo menos um amigo ou colega que “explodiu” em músculos de uma hora para outra? Em seis meses essa pessoa, em geral jovem, salta de míseros 55 kg para 80 kg ou mais de pura massa muscular. A antiga camiseta de banda de rock cede espaço à regata ou baby look. Em academias ou em raves há chance de encontrá-lo exibindo seus músculos hipertrofiados. Embora muitas vezes a família nem desconfie, quem convive com esses jovens logo identifica a causa de tantas mudanças físicas e comportamentais repentinas. Seu nome: esteróides anabolizantes.

Estudar as relações de causa e efeito do uso de anabolizantes em alta dosagem é a tarefa a que vem se dedicando a equipe da bióloga Fernanda Klein Marcondes, professora de Fisiologia da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). A literatura médica há bastante tempo tem associado os esteróides a uma série de malefícios que acometem seus usuários. Entretanto, para se estabelecer uma relação desses efeitos com suas respectivas causas é preciso considerar todo um contexto: hábitos de vida, a rotina de treinamento físico intenso e o uso simultâneo de vários anabolizantes e de suplementos alimentares, entre outros fatores. Continue reading

Mar 27

Cafeína induz desenvolvimento de osteoporose

Cobaias que ingeriram café tiveram perda significativa de cálcio Entre ratos, houve uma perda de 5% em osso analisado e um aumento de 21% na incidência de cálcio na urina, valores muito altos para um animal com estrutura óssea pequena e para o pouco tempo de estudo.

A cafeína é um grande indutor da osteoporose. A conclusão é de uma pesquisa feita no Departamento de Morfologia, Estomatologia e Fisiologia da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP) da USP. Os pesquisadores notaram que cobaias adaptadas à ingestão de café tiveram uma perda significativa de cálcio nos ossos. Inicialmente, um casal de ratos teve paulatinamente o hábito de tomar água substituído pelo de ingerir café. Continue reading

Feb 12

Morte súbita e atividade fisica

Temos acompanhado nos últimos tempos alguns casos de morte súbita em atletas de diferentes modalidades esportivas. Fato que, além de consternação causa espanto e questionamento. Como essas mortes ocorrem e como podem ser evitadas, talvez sejam as indagações mais pertinentes e de maior relevância.

Introdução

Morte súbita, no atleta, é o falecimento não traumático durante, ou imediatamente após o exercício, ocorrendo na primeira hora após o inicio dos sintomas. O primeiro registro histórico de morte súbita relacionada à atividade física data de 490 antes de Cristo, quando o soldado grego Pheidippides morreu ao chegar a Atenas depois de haver corrido desde Maraton (5). O risco de morte súbita por problemas cardíacos em jovens aparentemente saudáveis e em atletas é muito pequeno, provavelmente inferior a 1: 250.000 (3). Continue reading

Feb 12

Pesquisa da FMUSP constata ganhos à saúde, em idosas, derivados da prática de exercícios

Exercícios físicos regulares e a pratica de esportes de alta intensidade são fatores que melhoram a qualidade de vida e diminuem os sintomas de depressão entre mulheres com mais de 60 anos. É isso que indica um estudo feito por pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP).

A iniciativa da pesquisa surgiu da “discussão sobre a prática de exercícios de alta performace em mulheres idosas e suas possíveis repercussões sobre a qualidade de vida em seus múltiplos aspectos”, garante um dos responsáveis pelo estudo, Luiz Eugênio Garcez-Leme. Segundo ele, essa faixa etária foi utilizada pelo fato de as mulheres com mais de 60 anos serem parte da atenção específica da geriatria, e também por ser um grupo que pratica poucos exercícios, ainda mais como o que foi avaliado. Continue reading