May 29

Cigarro: apague o mal da sua saúde

Mesmo sabendo de todos os riscos, muitos fumantes ainda insistem em dizer que o prazer compensa tudo – até mesmo o risco de prejudicar a própria saúde. Será mesmo? Além de aumentar as chances de desenvolver doenças pulmonares, câncer, infarto, derrames e envelhecimento precoce, a pessoa tem menos disposição, gasta um dinheirão por mês para alimentar o vício e ainda prejudica a saúde de seu vizinho.

Durante décadas o cigarro foi considerado sinônimo de charme, beleza e sofisticação. A indústria cinematográfica imortalizou e glamourizou o ato de fumar. Hoje, estima-se que há mais de 250 milhões de mulheres fumantes no mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). O que já foi chique no passado é causa de preocupação no presente. Continue reading
Dec 27

Substância aponta fadiga cardíaca em maratonistas

running-marathonEstudos realizados na Escola de Educação Física e Esporte da (EEFE) da USP conseguiram identificar a ocorrência de fadiga cardíaca avaliando os níveis de óxido nítrico exalados pelos corredores no pós-maratona. Os testes foram feitos em 31 voluntários durante a 21ª edição da Maratona Internacional de São Paulo, realizada em maio deste ano.

Ana Sierra, médica do esporte e profissional de educação física, acompanhou corredores do sexo masculino, entre 18 e 55 anos, para investigar as principais alterações do organismo após a realização de maratona. Em sua pesquisa de mestrado, ela já havia observado que, depois da prova, o atleta passava por um período de 15 dias de fadiga cardíaca, sofrendo uma queda na capacidade de seu coração bombear o sangue. Continue reading

Dec 12

Armadilha Aeróbica

exerciseereducaoapetiteParadoxalmente, a obesidade tem aumentado ao mesmo tempo em que aumenta a adesão aos programas de atividade física. E o fato das pessoas não emagrecerem mesmo praticando exercícios, traz alguns questionamentos a respeito das direções dos programas atuais de emagrecimento e suas bases.

Apesar da má adesão por longos períodos ser um problema, ela não parece ser o único fator de insucesso dos planejamentos que objetivam a redução de peso em obesos e sobrepesados (Finley et. al. 2006). Algumas outras armadilhas parecem estar escondidas nesses programas, e é necessária uma visão um pouco mais critica e menos submissa para observa-las. Continue reading

Sep 25

Musculatura esquelética pode ser prejudicada por excesso de peso

jornadanoturnaeobesidadeExperimentos realizados na Escola de Educação Física e Esportes (EEFE) da USP mostram que a obesidade, além de todas as suas conhecidas consequências, pode também causar prejuízos à musculatura esquelética. O estudo de iniciação científica foi desenvolvido por João Lucas Penteado Gomes, que integra o Laboratório de Bioquímica e Biologia Molecular do Exercício Físico da EEFE.

De acordo com o pesquisador, que é formado em Educação Física pela EEFE, pelo menos 13% da população mundial apresenta algum grau de obesidade. Ele ainda revela que esse número tende a crescer: “Existem projeções apontando que metade da população será obesa até 2030″, avisa, ressaltando que “a obesidade leva a diversos problemas de saúde pública, como doenças crônicas, diabetes, hipertensão e câncer, mas também é um problema sistêmico e afeta diversos órgão e tecidos”. Continue reading

Sep 20

Práticas corporais são eficientes para a saúde coletiva

alonguexaquecimentoPacientes que procuram as Unidades Básicas de Saúde (UBS) podem contar com mais um aliado para o cuidado com a saúde. Bastante difundidas em países asiáticos, as práticas corporais (massagem, yoga, alongamento, dança, lian gong, tai-chi, meditação, acupuntura, entre outras) têm se mostrado eficientes no enfrentamento do sofrimento e da dor.

Essa é a conclusão de uma pesquisa coordenada pela professora Yara Carvalho, do Departamento de Pedagogia do Movimento do Corpo Humano, da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP em Unidades Básicas de Saúde do Butantã – zona oeste de São Paulo. Continue reading

Sep 16

A musculação como fonte da juventude

musculaçãojuventudeA musculação pode ser considerada como uma das atividades campeãs na promoção de saúde e qualidade de vida. Os seus inúmeros benefícios transcendem aos fatores estéticos, como comumente visto. São comprovados os benefícios do treinamento resistido como coadjuvantes no tratamento da hipertensão, osteoporose e diabetes; no combate à sarcopenia (perda natural de peso massa muscular em decorrência da idade); na correção de problemas posturais; na aceleração do metabolismo e emagrecimento; no fortalecimento do sistema imunológico; na melhoria dos padrões ventilatórios; bem como na melhora do humor, libido e autoestima. Continue reading

Aug 09

Exercício intenso versus exercício moderado, perfil lipídico e níveis de adiponectina

13898784-illustration-of-an-overweight-boy-exercisingA adiponectina é um hormônio proteico que modula vários processos metabólicos que inclui a regulação glicêmica e o catabolismo lipídico. É secretada pelo tecido adiposo e seus níveis plasmáticos estão inversamente relacionados com o percentual de gordura corporal. Baixas concentrações de adiponectina estão diretamente associadas ao desenvolvimento de doenças relacionadas à obesidade.

Alguns estudos relacionam sua concentração de forma inversa com patologias como diabetes, hipertensão e problemas cardiovasculares. Um decréscimo nos níveis plasmáticos de adiponectina tem sido relacionado diretamente com a presença da resistência à insulina. Além disso, a adiponectina apresenta um efeito protetor para o organismo apresentando um efeito anti-inflamatório.

Outros estudos porém relatam que não existem evidências consistentes de que as intervenções destinadas a aumentar os níveis de adiponectina vai melhorar a sensibilidade à insulina ou risco de diabetes tipo 2.

Continue reading

Aug 09

Como controlar o colesterol?

A data 8 de agosto marca o Dia Nacional do Controle do Colesterol

colesterolAveia, linhaça e hortaliças são alguns alimentos comumente associados à diminuição do colesterol. Embora não atuem diretamente neste processo, farelos integrais, folhas verdes e fibras das frutas podem, sim, ajudar a reduzir o colesterol ruim (LDL), pois aumentam o bolo fecal e impedem a absorção de sais biliares, ricos em LDL, no intestino grosso. Esses alimentos, então, acabam carregando esses sais para a eliminação junto das fezes, explica o professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG, Josemar de Almeida Moura.

Outro produto muito consumido com esse intuito, as cápsulas de óleo de peixe, podem não ter o efeito desejado. “O óleo de peixe não é indicado para tratar o colesterol individualmente, a principio não seria um tratamento para esse problema, por isso não deve ser tomado por conta própria”, afirma Josemar de Almeida.

O colesterol é uma substância produzida pelo nosso próprio corpo, não apenas adquirida em nossa dieta. Ao contrário do que muitos pensam, ele não causa apenas prejuízos para nosso organismo, mas faz parte da parede das nossas células, de tecidos, órgãos e hormônios, atuando na nossa digestão. Continue reading