Aug 09

Exercício intenso versus exercício moderado, perfil lipídico e níveis de adiponectina

13898784-illustration-of-an-overweight-boy-exercisingA adiponectina é um hormônio proteico que modula vários processos metabólicos que inclui a regulação glicêmica e o catabolismo lipídico. É secretada pelo tecido adiposo e seus níveis plasmáticos estão inversamente relacionados com o percentual de gordura corporal. Baixas concentrações de adiponectina estão diretamente associadas ao desenvolvimento de doenças relacionadas à obesidade.

Alguns estudos relacionam sua concentração de forma inversa com patologias como diabetes, hipertensão e problemas cardiovasculares. Um decréscimo nos níveis plasmáticos de adiponectina tem sido relacionado diretamente com a presença da resistência à insulina. Além disso, a adiponectina apresenta um efeito protetor para o organismo apresentando um efeito anti-inflamatório.

Outros estudos porém relatam que não existem evidências consistentes de que as intervenções destinadas a aumentar os níveis de adiponectina vai melhorar a sensibilidade à insulina ou risco de diabetes tipo 2.

Continue reading

Jul 09

Iniciando um programa de atividades físicas

fitnessUma das melhores coisas que você pode fazer para sua saúde é iniciar um programa regular de condicionamento físico.

Sabe-se que a atividade física ajuda na prevenção e no tratamento dos fatores de risco para doenças cardiovasculares, entre elas as doenças coronárias. Além disso, muitos outros benefícios podem ser adquiridos com a prática de exercícios físicos regulares como; melhoraria do equilíbrio e coordenação, controle do peso corporal, melhoria da capacidade funcional, fortalecimento muscular e ósseo e até mesmo aumento da autoestima.

Todos estes benefícios são acessíveis a todos, independente da idade, do sexo e da capacidade física inicial. Continue reading

Jun 28

10 Coisas que Você Precisa Saber Sobre Atividade Física

melhoranutricionalidosoConheça os benefícios da realização de exercícios no 10 Coisas que Você Precisa Saber Sobre Atividades Físicas. Lembrando que o sedentarismo é uma das principais causas dedoenças cardiovasculares, diabetes, obesidade e outras doenças crônicas não transmissíveis.

Confira, então, as 10 coisas que você precisa saber sobre atividade física:

  1. A prática de exercícios, de intensidade moderada, durante meia hora por dia é suficiente para que o cidadão deixe de ser sedentário. Estes trinta minutos podem ser contínuos ou divididos em três períodos de 10 minutos cada.
  2. Quando se fala em exercícios, o mais importante é que você pratique alguma atividade que se adapte ao seu estilo de vida e que seja do seu agrado. Caso contrário, são muitas as chances de interrupções.
  3. Pequenas modificações no hábito diário – como subir escadas, saltar do ônibus um ponto antes, passear com cachorro, varrer, cuidar do jardim, lavar o carro, etc. – podem ajudá-lo a movimentar mais e servir como um estímulo para o início de uma atividade física diária.
  4. Os efeitos benéficos da atividade física ocorrem para as pessoas que se exercitam com regularidade. Aqueles com IMC entre 25 e 30 (sobrepeso), nestas condições, podem ter um risco menor de desenvolver diabetes e outras doenças metabólicas do que os sedentários.
  5. De acordo com o United States Departament of Health and Human Services, é importante os adultos pratiquem duas horas de atividades anaeróbicas (musculação localizada), por semana, além dos 30 minutos de caminhada intensa por dia. Nos casos de pessoas com diabetes, hipertensão, obesidade e pessoas com problemas no metabolismo ósseo, por exemplo, é preciso ter um cuidado especial na escolha dos exercícios a praticar. Nestes casos, é imprescindível o acompanhamento de um profissional.
  6. 1 minuto de atividade física intensa é compatível com 2 minutos de atividade moderada. Caminhada em ritmo acelerado, hidroginástica, passeio de bicicleta e jogo de tênis em dupla são alguns dos exemplos para atividade moderada. Já a corrida, a natação, o basquete e a corrida de bicicleta são consideradas intensas.
  7. Durante a prática de um exercício físico é possível que haja uma redução na taxa de glicose da pessoa. O indicado, principalmente para pessoas com diabetes, é que carreguem consigo algum tipo de carboidrato de rápida absorção.
  8. As atividades físicas melhoram a sensação de bem-estar, diminuem a ansiedade e a probabilidade de depressão, por liberarem a serotonina (hormônio conhecido como “molécula da felicidade”).
  9. Dentre os benefícios da prática de exercícios estão: a diminuição do apetite, a melhora do humor, a perda de gordura (emagrecimento), o enrijecimento dos músculos, a melhora da imunidade e o retardo do envelhecimento.
  10. Em uma recente pesquisa feita pelo Overseas Development Institute, na Grã Bretanha, mostrou que o número de adultos obesos cresceu quatro vezes nos últimos 30 anos, em países em desenvolvimento, ou seja, são mais de 1 bilhão de pessoas acima do peso.

Texto: Flavia Garcia


Referências: Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana de Saúde, Programa Agita Mundo e o Departamento de Saúde, Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica e Serviços Humanos dos Estados Unidos.

Fonte: www.endocrino.org.br

Jun 13

Treino combinado atenua obesidade

treino combinadoDoze semanas de treinamento, sem intervenção nutricional, ajudaram a reduzir a gordura corporal

A combinação de treinamento com pesos e treinamento aeróbio, conhecido como treinamento combinado ou treinamento concorrente (TC), pode ser uma boa alternativa para adolescentes com excesso de peso. Foi o que apontou estudo de doutorado de Wendell Arthur Lopes defendido na Faculdade de Educação Física (FEF).

Doze semanas de treinamento, sem intervenção nutricional, ajudaram a reduzir a gordura corporal, aumentar a massa livre de gordura e melhorar a resistência à insulina e o estado inflamatório crônico de baixo grau.

O trabalho, orientado pela docente da FEF Cláudia Regina Cavaglieri, foi feito com um público feminino: 48 adolescentes que estudavam no Colégio da Polícia Militar (CPM), uma escola pública de Curitiba, Paraná. A iniciativa envolveu parceria entre a FEF da Unicamp e o Departamento de Educação Física da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Continue reading

May 26

Exercícios físicos combinados restauram funções de obesos

fitnessQuarenta por cento da população nos Estados Unidos é obesa e, no Brasil, o percentual ultrapassa os 20%. Até 2025, estima-se que esse percentual poderá exceder os 25%, atingindo um contingente de 50 milhões de brasileiros.

Problema de saúde pública, a obesidade, quando alcança indivíduos na meia-idade, eleva os riscos cardíacos, muito em função dos efeitos do envelhecimento. Deste modo, os obesos ainda têm que lidar com alterações do controle cardíaco (as quais podem aumentar o risco de doenças cardiovasculares – DCV) e com problemas no sistema circulatório: nos vasos sanguíneos e coração. Continue reading

May 10

Treinamentos intensos de curta duração causam rápidas melhorias nos metabolismos anaeróbico e aeróbico

treinos intensosMuito se fala que os protocolos que consistem de trabalhos contínuos de longa duração, 3 a 4 vezes na semana, são necessários para a melhoria da capacidade aeróbica. Por outro lado, treinamentos intensos com períodos de trabalhos curtos aumentam a produção de energia anaeróbica.

Mas muitas vezes um atleta precisa de ambas as capacidades. Isto nos leva ao seguinte questionamento: Como desenvolver as capacidades aeróbica e anaeróbica ao mesmo tempo?

Recentemente, muitos estudos tem demonstrados que treinamentos intensos de curta duração podem melhorar tanto a capacidade anaeróbica quanto a aeróbica.

Aqui descrevemos um estudo realizado por Rodas et al. (2000), da Universidade de Barcelona na Espanha.

Este estudo teve como objetivo avaliar as alterações no metabolismo aeróbico e anaeróbico produzidos por um programa de treinamento de curta duração. Neste estudo, cinco jovens (média de 21 anos de idade) do sexo masculino treinaram diariamente durante 2 semanas em uma bicicleta ergométrica. As sessões de treinamento consistiram de repetições curtas de 15 e 30 segundos, com períodos de 45 segundos e 12 minutos de descanso respectivamente. Continue reading

May 08

Amplitude: a qualidade esquecida

Com o passar do tempo é natural ficarmos afoitos para levantar maiores sobrecargas na sala de musculação, torna-se difícil desvincular o aspecto visível da quantidade de peso de um invisível aspecto qualitativo, que é o estímulo fisiológico.

Isto é muito evidente em praticantes de musculação do sexo masculino, que geralmente abrem mão da técnica correta para utilizar cargas maiores, sendo a amplitude um dos fatores mais afetados. Além da visão quantitativa tem outro aspecto que é muito mais obscuro: o famoso ângulo de 90°.

Esta angulação é usada como limite para praticamente todos os exercícios com sobrecarga, desde agachamento até rosca tríceps, sem que nenhuma.evidência científica corrobore com esta prática. Continue reading

Apr 08

A ditadura do exercício cardiovascular de longa duração chegou ao fim

aeroxanaeroVO2 max é a capacidade máxima do corpo de um indivíduo em transportar e metabolizar oxigênio durante o exercício físico. É a variável fisiológica que mais reflete a capacidade aeróbica de um indivíduo. A sigla é derivada de “Volume de Oxigênio (O2) máximo”. É uma grandeza expressa em litros de oxigênio por minuto (l/m) de forma absoluta, e em mililitros de oxigênio por quilograma por minuto (ml/kg/min) de forma relativa ao peso do indivíduo.

Essa medida é correlacionada de forma positiva com menor risco de mortalidade, ou seja, quanto maior seu VO2 máximo mais tempo se vive (ACSM 2011). Neste sentido, Kodama e colaboradores em meta-analise de 2009 definiram como 7,9 METS (VO2 max ~ 27,65 mlo2/kg/min) o ponto de corte para um nível interessante de prevenção da mortalidade por todas as causas. Continue reading

Feb 08

HIIT e doenças cardiovasculares

fitnessSíndrome metabólica (SM), é o conjunto de fatores fortemente associados a doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2, são eles: obesidade abdominal, dislipidemia, hipertensão, resistência à insulina e estado pró inflamatório (Grundy et al., 2004).

Segundo Shaw e colaboradores, o aumento da prevalência da síndrome, está associado a maiores índices de mortalidade por doenças cardiovasculares e parece ser influenciada pelo: estilo de vida, fatores genéticos, idade e gênero. É bem estabelecido que a prática regular de exercício físico seja uma estratégia efetiva na prevenção e no tratamento da SM. Continue reading