Jan 28

Uso abusivo de computador à noite afeta a qualidade do sono de jovens

Adolescentes que permanecem muito tempo em frente ao computador à noite apresentam má qualidade do sono e sonolência diurna, sendo mais suscetíveis a alterações no humor, entre outras conseqüências. As constatações estão na pesquisa de mestrado da psicóloga Gema Galgani de Mesquita Duarte, recém-apresentada na Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Para fundamentar seu trabalho, a pesquisadora ouviu 160 adolescentes entre 15 e 18 anos. O estudo, primeiro do gênero no Brasil, traz à tona a discussão de um problema enfrentado por grande parte das famílias: o uso noturno do computador pelos adolescentes. “A experiência doméstica me levou a querer entender as conseqüências desta prática que já se tornou freqüente entre os jovens”, salienta a psicóloga. Continue reading
Dec 29

Estrutura física de escolas de ensino médio não comporta projeto pedagógico moderno

O espaço físico de escolas de ensino médio precisa ser revisto. De acordo com uma pesquisa realizada na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, ele restringe a implantação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). Criada em 1996, a legislação propõe um projeto pedagógico que vá além de lousa, giz e palestra do professor, a fim de preparar melhor o aluno para os desafios do mercado de trabalho.

“É possível implantar essas diretrizes no espaço atual, mas isso não é didático nem econômico quando se vai construir um novo edifício”, explica Nancí Saraiva Moreira. A arquiteta desenvolveu um esquema de edifício escolar que pudesse, ao mesmo tempo, atender às mudanças propostas na LDB e ser economicamente viável de ser implantado, tanto para construir novos prédios quanto para adequar os já existentes. Continue reading

Nov 29

Body for Life

Em primeiro lugar, creio que qualquer tentativa de induzir as pessoas a praticarem atividades físicas é válida, mesmo que o objetivo maior seja autopromoção e aumento da própria conta bancária, como no caso Bill Phillips.

Tecnicamente, há pouco o que comentar sobre o livro, visto que é uma obra sem pré-requisitos suficientes para uma abordagem científica. Em nenhum momento há preocupação de fornecer informação, a preocupação é somente quanto a venda de produtos e idéias. Por isso fico extremamente perplexo ao ver que alguns profissionais da área estão recorrendo ao livro para orientar sua metodologia de trabalho. Sinceramente, o profissional que encontrar novidades técnicas nesse livro deveria prestar novo vestibular e se dedicar um pouco mais aos estudos. Continue reading

Jun 29

Um recado para os fanáticos

Um amigo meu tinha como o seu sonho de consumo comprar um carro esporte vermelho, desses vermelhos cujo brilho ofusca os olhos, ele afirmava que não poderia ser feliz enquanto não tivesse o tal carro. Para alcançar seu objetivo foi necessário trabalhar duro… Até que um dia conseguiu realizar seu sonho. O carro era perfeito, tudo estava ótimo. Mas inesperadamente ele descobriu que havia um arranhão na lataria… Que droga! O carro era perfeito. Tudo estava ótimo. Como nunca tinha visto esse arranhão “enorme”? (na verdade deveria ter uns cinco centímetros). Continue reading

May 30

Programas sociais melhoram a conduta dos jovens

Projetos sociais trazem alterações mais na conduta dos jovens que nos problemas sociais

Melhora das condições de vida das comunidades são lentas e difíceis, por isso programas precisam aproximar-se dessas necessidades de seus participantes, através de parcerias externas com governos e empresas A maior transformação sentida pelos jovens que integram projetos sociais do terceiro setor ocorre no campo pessoal. O resultado das ações é mais visível no comportamento desses participantes individualmente que na comunidade em que vivem. Segundo Marcelo Calegare, que estudou o assunto em sua pesquisa de mestrado do Instituto de Psicologia (IP) da USP, é a partir da percepção dessa limitação que as instituições percebem a necessidade de criar parcerias externas. “Se o terceiro setor se restringir a seus muros sua eficácia diminuirá”, diz o pesquisador. Continue reading

Feb 28

Programas de tratamento de alcoolistas deveriam incluir familiares

Os familiares de homens alcoolistas também deveriam ser incluídos em programas de tratamento da doença

Um estudo realizado pela psicóloga Joseane de Souza, apresentado na Escola de Enfermagem da USP de Ribeirão Preto, mostra que as crianças – em especial as meninas – apresentam prejuízo emocional e de comportamento em relação aos filhos de não-alcoolistas.

Segundo a pesquisadora, o trabalho serve de alerta aos profissionais de saúde, que deveriam ter um olhar especial às crianças filhas de alcoolistas. “A maioria dos tratamentos para alcoolistas em hospitais não incluem a família. Neste estudo percebemos a necessidade da terapia familiar para tratar esses sinais”, afirma.

A pesquisa teve como base a avaliação psicológica de 20 crianças (10 meninos e 10 meninas), com idades entre 9 e 12 anos, filhas de alcoolistas atendidos em um hospital da cidade de Guarapuava, no Paraná. Como comparação (grupo controle), 20 crianças filhas de não-alcoolistas e da mesma escola (e nível socioeconômico) das outras foram selecionadas para o estudo. Todas elas realizaram o Teste da Figura Humana e suas mães responderam a um questionário que abordava o comportamento das crianças. Continue reading

Dec 28

Ricos são os que mais consomem bebidas alcoólicas

População mais pobre compromete 33,4% do orçamento com bebidas alcoólicas Estudo baseado em pesquisa da Fipe indica que os mais ricos são os maiores consumidores, e que a parcela dos mais pobres desvia a renda de outras despesas, como educação e habitação, para beber.

Apesar de os mais ricos serem os maiores consumidores de bebidas alcoólicas entre a população da cidade de São Paulo, as famílias mais pobres são as maiores prejudicadas. Em média, os gastos desta natureza comprometem 33,4% do orçamento familiar destes lares, cuja renda vai até R$ 250,00. “Isso significa que são desviados valores de despesas como educação, habitação, alimentação, e outras”, explica a nutricionista Valéria Simone Furtado Ikeda. Utilizando a Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) 98 / 99, conduzida pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), entidade conveniada à Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP, a pesquisadora traçou uma espécie de perfil socioeconômico do consumo de bebidas alcoólicas na cidade de São Paulo. Continue reading

Oct 30

O Funk e o paradígma da macieira

Atualmente o movimento funk tem presença assegurada em diversos círculos, quer pela repetição de seus lobotomicos refrões, pela crítica da elite intelectual, pela censura dos puritanos… Assim como atraiu inúmeros seguidores, o mais recente movimento musical popular também conquistou ferrenhos opositores, sob a dura acusação de degradação do homem (mulher) pelo homem e ausência de estrutura racional/cultural em suas músicas. Mas será que são justas tais acusações? Serão os integrantes deste movimento vítimas ou vilões? Continue reading

Aug 29

Xampus não proporcionam resultados prometidos

Pesquisas revelam que formulações de empresas que fabricam xampus carecem de base científica

Se o leitor encontrar na gôndola do supermercado um xampu que prometa nutrir seus cabelos, desconfie. Por mais sério e bem-intencionado que seja o fabricante, ele não poderá cumprir o compromisso. E a razão é mais do que óbvia: é impossível oferecer nutrientes a uma estrutura morta.

Esse tipo de “equívoco” é relativamente comum na indústria de cosméticos, como revela a professora Inés Joekes, do Instituto de Química (IQ) da Unicamp. Segundo ela, que desde 1985 coordena uma linha de pesquisa sobre cabelo, o segmento ainda carece de metodologias científicas que possam dar sustentação a seus produtos. “Nosso objetivo principal é formar profissionais capacitados para trabalhar no setor produtivo, de modo a contribuir para a geração de métodos mais rigorosos e eficazes tanto para a formulação quanto para a avaliação dos cosméticos”, afirma. Continue reading

May 27

Deputados federais ignoram e-mails de cidadãos

Criado para facilitar a comunicação entre deputados e cidadãos, o serviço de e-mail “Fale com o Deputado”, do programa Participação Popular do portal da Câmara dos Deputados, está longe de ser um canal eficaz de contato. A reportagem do WNews testou o serviço. Foram enviados 513 e-mails, um para cada deputado federal listado na Câmara de Deputados do País. Apenas três responderam. O conteúdo da mensagem foi o seguinte: “Gostaria de saber qual a sua plataforma de propostas ou projetos para TI (Tecnologia da Informação) no Brasil?” Continue reading