Como abandonar o tabagismo e recuperar a qualidade de vida

Tabagismo é considerado pela Organização Mundial de Saúde uma doença pois a nicotina presente no cigarro causa dependência e provoca alterações físicas, emocionais e comportamentais.

Os fumantes têm três vezes mais possibilidade de morrer antes dos 65 anos do que os não fumantes. Há três vezes mais risco de doença cardíaca e dez vezes mais risco de câncer de pulmão.

Os fumantes também têm risco aumentado de outros tipos de cânceres, bronquite crônica, enfisema e úlceras. A boa notícia é que a saúde pode melhorar assim que o hábito tabágico é interrompido.

É evidente que toda mudança de comportamento gera medo. Assim, é comum o fumante apresentar essa ambivalência, isto é, alternância entre o desejo de parar de fumar e, ao mesmo tempo, dúvida ou temores. O que importa é ter persistência e perseverança.

Em termos fisiológicos, assim que a pessoa para de fumar, o monóxido de carbono sanguíneo diminui, há redução da frequência cardíaca e da pressão arterial. Se a cessação do tabagismo for por pelo menos dez anos, o risco de sofrer uma das doenças já citadas, reduz-se em nível equivalente ao de quem nunca fumou.

De forma prática, após dois dias sem fumar, os sentidos retornam com a sensibilidade. Os alimentos tornam-se mais saborosos. A função pulmonar retorna ao normal. Há mais disposição para os afazeres do dia a dia. Por isso, deixe de fumar e melhore sua qualidade de vida. Troque o hábito de fumar, por alguma atividade física. Dê essa chance para você! Seu corpo agradece.

Fonte:
Sociedade Brasileira de Cardiologia
Colaboração: Gustavo Dutra
Estagiário da Beneficência Portuguesa de São Paulo

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *