Os Ritmos Biológicos e os Horários Escolares

Uma cena bastante comum é a de um adolescente dormindo no carro enquanto o pai ou a mãe o leva para escola bem cedinho. Na escola, a primeira hora é de muitos bocejos, espreguiçadas e eventuais cochilos na carteira. É claro, diria um pai ou uma mãe, ele (a) fica vendo televisão até tarde, depois reclama de acordar cedo!

Todos sabemos que a adolescência é uma etapa de transição, marcada por diversos conflitos e novos desafios para o jovens. E é também uma fase em que o organismo passa por uma série de mudanças. A esse processo de modificações orgânicas dá-se o nome de puberdade e parece que a puberdade modifica os ritmos biológicos.

Talvez o ritmo biológico mais evidente para todos nós seja o ciclo vigília-sono, ou seja, essa alternância entre estar acordado e estar dormindo que se repete a cada 24 horas. Durante a puberdade é observado um atraso nos ritmos biológicos, entre eles o ciclo vigília-sono, isto é, o jovem passa a sentir sono mais tarde e também a acordar mais tarde.

Curiosamente, a maioria das escolas brasileiras reserva o período da tarde para as crianças pequenas (de primeira a quarta série) e o período da manhã para os alunos de quinta série em diante, alunos que ou já entraram, ou entrarão brevemente na adolescência.

Mesmo com as aulas começando cedo (em geral entre 7h e 7h 30min), esses jovens não são capazes de dormir mais cedo, ainda mais se tiver televisão, internet ou amigos por perto. Quando o despertador toca, seu sono é interrompido. Os adolescentes que estudam de manhã sofrem privação parcial de sono crônica e isso pode ter consequências.

A primeira consequência é a sonolência excessiva diurna. A sonolência em sala de aula diminui a atenção e o interesse e pode comprometer o desempenho escolar. A outra consequência também está relacionada com o aprendizado, mais especificamente com a memória.

O sono é um processo fisiológico fundamental para a memória. É durante o sono que processamos as informações do dia-a-dia e as transformamos em memória. Existe um estágio específico do sono que está relacionado com a memória, esse estágio é chamado de sono paradoxal ou sono REM, como é mais conhecido.

E no caso dos adolescentes, que são acordados pelo despertador antes do acordar espontâneo, a parte do sono que está sendo perdida é principalmente essa fase REM, que se concentra nas horas finais do sono. O GMDRB vem estudando este tema há alguns anos, assim como pesquisadores de Israel e dos Estados Unidos.

Nesses países, já surgiram algumas iniciativas no sentido de atrasar o horário de entrada na escola (nesses países as escolas funcionam em período integral). Aqui no Brasil, a Escola de Aplicação, que pertence a Faculdade de Educação da USP, e onde já realizamos algumas pesquisas com seus estudantes, resolveu transferir os alunos da quinta série do período da manhã para o período da tarde nesse ano de 99.

Pretendemos, juntamente com a escola, avaliar os efeitos dessa alteração para futuramente, estendê-la as outras séries.

Texto:
Luciana Mello
laffini@fisio.icb.usp.br

Fonte:
GMDRB – Grupo Multidisciplinar de Desenvolvimento e Ritmos Biológicos – USP
www.crono.icb.usp.br

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *