Sep 30

O que é que eu faço quando meus alunos e alunas só querem dançar como a Xuxa e a Carla Perez?

Ou das posturas pedagógicas e da construção da identidade da criança e do adolescente diante das danças das mídias

Introdução

Ligar a televisão e deparar-se com a Carla Perez ou suas imitadoras executando a “dança da garrafa” na telinha colorida, ou mesmo preta e branca da nossa casa, tornou-se uma constante de domingo a domingo das 07:00h. às 24:00h. O fenômeno não é recente, haja visto o reinado de Xuxa – mais de dez anos – e suas sósias com seus requebros e saltinhos nos programas infantis. Contudo, observamos que nunca a indignação e o debate foram tão constantes como na atualidade. Continue reading

Sep 29

Utilizando o limiar de lactato no treino de atletas de longa duração

POWERS e colaboradores (2000) cita que quando realizamos uma atividade física e aumentamos a intensidade do exercício  ( velocidade da corrida, por exemplo), os níveis sangüíneos de ácido láctico começam a se elevar de forma exponencial. Quando um pesquisador colhe uma amostra de sangue de um indivíduo que está se exercitando, a concentração de ácido láctico na amostra é a diferença entre a quantidade de ácido láctico que entra no sangue e a taxa de remoção de ácido láctico do sangue. Em qualquer momento durante o exercício, alguns músculos estão produzindo ácido láctico e liberando-o no sangue, enquanto alguns tecidos ( fígado, músculos esqueléticos, coração, etc.) o estão removendo. Continue reading

Aug 29

Xampus não proporcionam resultados prometidos

Pesquisas revelam que formulações de empresas que fabricam xampus carecem de base científica

Se o leitor encontrar na gôndola do supermercado um xampu que prometa nutrir seus cabelos, desconfie. Por mais sério e bem-intencionado que seja o fabricante, ele não poderá cumprir o compromisso. E a razão é mais do que óbvia: é impossível oferecer nutrientes a uma estrutura morta.

Esse tipo de “equívoco” é relativamente comum na indústria de cosméticos, como revela a professora Inés Joekes, do Instituto de Química (IQ) da Unicamp. Segundo ela, que desde 1985 coordena uma linha de pesquisa sobre cabelo, o segmento ainda carece de metodologias científicas que possam dar sustentação a seus produtos. “Nosso objetivo principal é formar profissionais capacitados para trabalhar no setor produtivo, de modo a contribuir para a geração de métodos mais rigorosos e eficazes tanto para a formulação quanto para a avaliação dos cosméticos”, afirma. Continue reading

Aug 27

Índice de Capacidade de Saltos – O Teste de Campos

Introdução

A avaliação do rendimento do atleta, normalmente, é feita tendo como essência o componente físico do rendimento ou da técnica. Frequentemente programamos uma série de exercícios para um atleta ou para uma equipe objetivando uma determinada performance esportiva. Sabemos que dentro da individualidade biológica, cada individuo possui um conjunto de aptidões e limitações procedentes do seu potencial genético, das atividades físicas e até mesmo das eventuais disfunções orgânicas.

Os princípios básicos para o desenvolvimento é a relação entre a atividade especifica do desporto que se deseja aperfeiçoar e as fontes energéticas. Por isso, torna-se necessária uma classificação das modalidades esportivas que nos permita, de imediato, caracterizar as variáveis mais importantes para elaborarmos uma bateria de testes adequada e especifica, dando-nos uma condição de análise, classificação e orientação adequada no processo de uma avaliação funcional consciente. Continue reading

Jul 29

O Paradigma da AIDS

No mundo em que vivemos existe uma infinidade de doenças que acometem os seres humanos, desde uma simples gripe (que via de regra não tem cura) e foi responsável pelo maior massacre na história da humanidade com o vírus influenza, na famosa gripe espanhola, até o temido câncer. Todavia, é provável que nenhuma das enfermidades conhecidas pelo homem cause mais expectativas negativas do que a AIDS. Esta sigla significa Síndrome da Imunodeficiência

Adquirida que, em última análise, se traduz na capacidade reduzida, ou deficiente, do sistema imune em lidar com outras infecções, que quando surgem são consideradas “oportunistas” e, nesta condição, se tornam potencialmente mais perigosas. De acordo com a “ordem vigente” a AIDS é provocada por um vírus denominado HIV (vírus da imunodeficiência humana), sendo assim uma doença infecciosa. Interessantemente, há cerca de 4000 indivíduos com AIDS em todo mundo que não apresentavam infecção pelo HIV. Continue reading

Jul 29

Interpretação de dados antropométricos

1. Introdução

Para o aprimoramento da ação profissional é necessário tomar conhecimento sobre a condição atual, para desta forma, estabelecer as ações de intervenção mais adequadas. Posteriormente uma nova intervenção de diagnóstico deve ser feita no sentido de observar se as ações seguidas foram as corretas indicando se o planejamento foi desenvolvimento com sucesso.

No campo da Educação Física este roteiro é totalmente pertinente quando se considera o uso de técnicas antropométricas no dia a dia de trabalho. É muito comum se observar nos livros textos uma série de técnicas, protocolos e procedimentos antropométricos, entretanto todos estes elementos se concentram na questão do medir.

Contudo, um grande profissional que trabalhe com antropometria deve se destacar não somente por medir perfeitamente, mas também por saber interpretar os dados ali obtidos visando uma melhor prescrição de exercícios ou diagnóstico correto do avaliado. O curso em questão abordará especificamente o procedimento de interpretação de um dado antropométrico, com enfoque multifatorial. Continue reading

May 27

Deputados federais ignoram e-mails de cidadãos

Criado para facilitar a comunicação entre deputados e cidadãos, o serviço de e-mail “Fale com o Deputado”, do programa Participação Popular do portal da Câmara dos Deputados, está longe de ser um canal eficaz de contato. A reportagem do WNews testou o serviço. Foram enviados 513 e-mails, um para cada deputado federal listado na Câmara de Deputados do País. Apenas três responderam. O conteúdo da mensagem foi o seguinte: “Gostaria de saber qual a sua plataforma de propostas ou projetos para TI (Tecnologia da Informação) no Brasil?” Continue reading
Jan 30

Educação para a autonomia é a chave para a não-violência entre torcedores de futebol

A partir de entrevistas com torcedores comuns de futebol (que não fazem parte de torcidas organizadas) da cidade de São Paulo, o psicólogo Roberto Romeiro Hryniewicz constatou que existe a necessidade de a sociedade começar a pensar em uma educação voltada para a autonomia das pessoas, ou seja, que as faça pensar e agir por si mesmas, e que não apenas reproduzam idéias e ações sem refletirem sobre elas.

Esta é uma das conclusões de Hryniewicz em sua pesquisa de mestrado Torcida de futebol: adesão, alienação e violênciaapresentada no último dia 24 de abril ao Instituto de Psicologia da USP. “Não é a paixão pelo futebol que causa a violência entre torcedores, mas sim a maneira como as pessoas lidam com essa paixão”, afirma o psicólogo. “Muito provavelmente, quanto mais paixão e adesão existir ao esporte, mais homogêneo será o discurso da pessoa, ou seja, ela terá uma ‘explicação padrão’ para justificar suas atitudes e opiniões, que será semelhante a quase todos os membros daquele grupo”, esclarece. Continue reading