Por que os quenianos correm tão bem?

quenianos

A importância relativa das influências genéticas e socioculturais que contribuem para o sucesso dos atletas do leste do continente africano nas provas de resistência do atletismo ainda permanecem desconhecidas. Em parte, este mistério ocorre pelo desconhecimento do fenótipo desta população.

Acredita-se que o volume de atividade física que se acumula durante a infância e adolescência desta população seja um dos fatores responsáveis pelo sucesso nas provas de longa distância.

Muitos estudos têm tentado desvendar o estilo de vida destes povos africanos e muitos têm comparado o estilo de vida dos jovens africanos com os estilos de vida de outras populações. Recentemente, um estudo avaliou a aptidão cardiorrespiratória, os níveis de atividade física e o gasto energético diário em 30 adolescentes quenianos habitualmente ativos, de uma escola primária rural; sendo 15 do sexo masculino e 15 do sexo feminino com média de idade de 13,9 anos. Também foi avaliada a distância percorrida por estes jovens para se chegar a escola.

Os adolescentes masculinos apresentaram um VO2max de 73,9 ml kg -1 min -1 e as garotas um VO2max de 61,5 ml kg -1 min -1 .

O tempo total gasto em atividades físicas por dia foi de 406 minutos em atividades físicas leves (50% do tempo total monitorado), 244 minutos em atividades moderadas (30%), 56 minutos em atividades físicas intensas (9%) e 82 minutos em atividades físicas sedentárias (10%).

Os adolescentes quenianos percorriam em média 7,5 km para chegar até a escola e também apresentaram um gasto energético diário bastante elevado, caracterizando um estilo de vida bastante ativo.

Tal estilo de vida apresentado pelos adolescentes quenianos pode ser um fator responsável por suas excepcionais aptidões aeróbicas, o que os prepara coletivamente para o treinamento e o sucesso atlético.

Referência:

Gibson AR, Ojiambo R, Konstabel K, Lieberman DE, Reilly JJ, Speakman JR, Pitsiladis YP. Aerobic Capacity, Activity Levels and Daily Energy Expenditure in Male and Female Adolescents of the Kenyan Nandi Sub-Group. PLoS One. Jun 21;8(6), 2013.

 

Luciano Carlos Fernandes
Professor de Educação Física – CREF 6 / MG – 4812 G

Especialista em Treinamento Desportivo – UFV
Editor do www.educacaofisica.org

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *