Porque as empresas de Itabuna-BA não implantam atividades laborais

RESUMO

A tendência mundial na busca de melhor qualidade,fez surgir nas empresas programas voltados aos funcionários,são as atividades laborais.Estas, são praticadas durante o horário da jornada de trabalho,visando o bem-estar das pessoas e lucro para a própria empresa.Esta pesquisa realizada em dez empresas de Itabuna-BA,traça o perfil dos programas de atividades laborais em prática e os motivos pelos quais empresas não adotam este programa laboral.Percebe-se que muitas empresas em Itabuna-Ba não conhecem a importância e os objetivos da atividade laboral.Algumas por motivo de redução de custo,falta de espaço físico e ausência de planejamento e orçamento,deixam de investir na saúde e qualidade de vida no trabalho de seus empregados , e conseqüentemente no aumento da produtividade.Os benefícios e resultados obtidos pelas empresas após a implantação de atividades laborais são bastantes satisfatórios e de fundamental importância para seus desenvolvimento social e financeiro.

Palavras-chave: atividades laborais, empresas, qualidade de vida, produtividade, saúde.

INTRODUÇÃO

A Atividade Laboral surgiu em 1925 como ginástica de pausa para operários,inicialmente na Polônia, depois na Holanda, Rússia, Bulgária, Alemanha Oriental e em outros países, na mesma época. No Japão foi implantada pela 1ª vez em 1928 com os trabalhadores do correio. Após a Segunda Guerra Mundial, o programa se espalhou por todo o país, e hoje, mais de um terço dos trabalhadores japoneses exercitam-se diariamente, tendo obtido como resultados, em 1960, a diminuição dos acidentes de trabalho, o aumento da produtividade e a melhoria do bem estar geral dos trabalhadores.

No Brasil, as primeiras manifestações de atividades físicas entre funcionários foram registradas em 1901. Em decorrência da automação e do avanço tecnológico, a produção consome hoje uma menor massa de trabalho humano do que no século XIX, para produzir o mesmo tipo e volume de produto, mas infelizmente a automação e a informatização não têm contribuído eficazmente para a saúde e qualidade de vida do trabalhador.

O trabalho mecanizado trouxe uma escravidão exaustiva e desumana ocasionando aumento da velocidade do trabalho, controle dos operadores de máquina e isolamento dos trabalhadores uns dos outros. Com os avanços tecnológicos e a globalização da economia aumentouse os riscos nos ambientes de trabalho, principalmente em razão ao capitalismo selvagem e da exigência de maior produtividade, com qualidade, menor custo e em menor tempo. Devido a todas essas exigências, a proteção e manutenção da saúde e qualidade de vida e boas relações dos trabalhadores ficaram em segundo plano.

A atividade laboral vem se mostrando como um dos grandes aliados para a prevenção e reabilitação de doenças ocupacionais e acidentes no ambiente de trabalho, melhor integração entre os empregados e maior satisfação. Seus benefícios são de caráter físico, psicológico e social para o trabalhador e são inúmeras as vantagens para a empresa como, por exemplo, a efetiva melhoria do meio ambiente de trabalho, pois trabalhadores saudáveis e felizes produzem mais e melhor.

Em meio a tantos benefícios para o trabalhador e para a empresa, ainda há muitos empresários em Itabuna1 que não contratam este serviço. Percebe-se que muitas empresas em Itabuna não conhecem sua importância e seus objetivos. Algumas por motivo de redução de custo deixam de investir na saúde e segurança de seus empregados como também no maior rendimento dos mesmos e consequentemente em maior produtividade.

Destaca-se também que há falta de espaço físico adequado em parte dessas empresas para a realização das atividades físicas e até mesmo aspectos culturais da região influenciam as empresas a não sentirem necessidade de integrar a atividade laboral na rotina de seus funcionários.

O presente estudo tem como objetivo coletar dados que justifiquem as empresas de Itabuna não implantarem a atividade laboral, demonstrar aos empresários sua importância e conscientizá-los sobre a qualidade de vida no trabalho.

ATIVIDADE LABORAL NAS EMPRESAS DE ITABUNA

A Atividade Laboral (AL) é o exercício físico orientado e praticado durante o horário do expediente visando benefícios pessoais no trabalho. A tendência mundial na busca de melhor qualidade fez surgir nas empresas a necessidade da implantação de vários programas voltados para seus funcionários. As atividades laborais nas empresas apareceram em paralelo aos programas de qualidade de vida e promoção do lazer, que visam amenizar os efeitos deletérios que o mau da tecnologia pode acarretar.

Foi realizada uma pesquisa quantitativa e qualitativa em 10 empresas de Itabuna para identificar as causas da não implantação de atividades laborais, onde se utilizou um questionário com questões mistas como técnica de coleta de dados. Das 10 empresas que participaram voluntariamente do estudo, 70% não possuem AL (GRÁFICO 1), sendo que 28,57% argumentaram desconhecer sua importância. 14,28 alegaram redução de custo. 14,28 ressaltaram falta de espaço físico. 20% relataram outros motivos como a falta de planejamento interno e falta de orçamento e 14,28% dessas empresas disseram que seus funcionários não dão importância à prática da atividade laboral, pois já passaram pela experiência que não obteve sucesso, pois os próprios funcionários não compareciam às aulas (GRÁFICO 2).

Gráfico 1

Gráfico 2

Os objetivos da implantação de AL são a prevenção das principais doenças ocupacionais, a diminuição dos acidentes de trabalho e do absenteísmo, além de incentivar a prática regular de atividade física fora do horário de trabalho.

É possível afirmar que 70% nunca receberam projetos voltados à aplicação de atividades físicas para seus funcionários e 30% já receberam propostas. 14,28% possuem este serviço, mas que foi criado por solicitação da própria administração, ou seja, nunca receberam projetos. Isso significa que falta divulgação dos próprios profissionais habilitados para a execução da AL (Atividade Laboral) nas empresas. 33,3% já receberam propostas e projetos, porém não adotaram o programa.

Gráfico 3

O instrutor da atividade laboral ao elaborar projetos e planejar sua prática deve se basear nos resultados da própria empresa e de outras pesquisas em AL, pois os empresários e os gerentes precisam receber argumentos claros, objetivos e convincentes sobre a importância da implantação e do desenvolvimento do programa de atividade laboral para a companhia e para os funcionários.

Por sua origem capitalista, a empresa quer conhecer a sua perspectiva de retorno toda vez que realiza um investimento.

Uma forma de demonstrar a rentabilidade é traçar um paralelo:cada
R$ 1,00 investido em um programa de atividade física e qualidade de
vida voltada para seus trabalhadores retornará para a empresa R$
2,00 a partir de 24 meses de implantação.Além das empresas
lucrarem o dobro de seu investimento inicial, elas terão benefícios
como aumento da produtividade,diminuição do índice de ausências
ao trabalho,dos custos médicos e da rotatividade na mão-de-obra e
melhora da rotatividade institucional.(MATSUDO, Victor Keihan R.
citado por MENDES, Ricardo Laves & LEITE, Neiva, 2004,p.71)

Portanto pode-se observar que os benefícios para as empresas são de longo prazo, porém os resultados obtidos são de fundamental importância para seu desenvolvimento social e financeiro. As empresas que adotaram o programa de atividade física para seus trabalhadores afirmaram que já é possível visualizar os benefícios. 100% delas relataram maior rendimento e produtividade, menor ocorrência de afastamentos e melhora na qualidade de vida dos empregados.

67% obtiveram menor gasto com saúde. 33,3% observaram melhora na integração entre os funcionários e 33,3% argumentaram haver maior satisfação dos trabalhadores para com o trabalho.(GRÁFICO 4)

O grau de satisfação no trabalho também está relacionado com o
contrato psicológico, que se traduz no conjunto de expectativas entre
o indivíduo e a empresa que não está explicitado no contrato de
trabalho.(RODRIGUES, A.L. & GASPARINI, A.C.L.F, citado por
MENDES, Ricardo Alves & LEITE, Neiva, 2004,p.149)

Gráfico4

Qualquer mudança no ambiente de trabalho gera impacto negativo ou positivo sobre a percepção na qualidade de vida do trabalhador. O ambiente de trabalho deve promover a saúde, o equilíbrio físico e psico-emocional, visto que para o trabalhador ter uma boa qualidade de vida no trabalho é necessário ter boas condições de trabalho.

POR QUE IMPLANTAR ATIVIDADE LABORAL?

Com a atividade laboral há aumento do bem-estar geral, da disposição dos trabalhadores, maior cooperação entre as equipes de trabalho e principalmente melhora na qualidade de vida, pois o exercício físico promove saúde aos seus praticantes.

As atividades físicas e desportivas dentro das
empresas, bem como os programas de
qualidade de vida e de promoção de saúde,
atuam como uma forma de neutralizar os efeitos
negativos do trabalho e da utilização inadequada
da tecnologia sobre o corpo humano prevenindo
a progressão para doenças ocupacionais.
(MENDES, Ricardo Alves & LEITE, Neiva, 2004,
p.15)

Visto que ao aumentar a sua produção para manter uma situação mais competitiva no mundo globalizado, as empresas intensificaram a pressão organizacional, o tempo de jornada de trabalho e o nível de exigências sobre os trabalhadores, com isso o processo de trabalho e o nível de exigências passaram a ser utilizados de forma errônea.

A qualidade de vida no trabalho é definida como a qualidade de vida relacionada ao trabalho, mas a satisfação no trabalho não pode estar isolada da vida do indivíduo como um todo. Ela representa uma relação entre qualidade de vida dentro e fora do trabalho.

Portanto, se por um lado o fator qualidade de
vida no trabalho é significativamente aumentado,
por outro lado a empresa é beneficiada na
redução de gastos e no aumento da
produtividade ao promover programas
orientados de atividades laborais. (CARVALHO,
S.H.F., citado por MORAES, Camila & DELBIN,
Maria Andréia, 2003,p.09)

É possível afirmar que a qualidade de vida no trabalho é um ponto vital, não só para a realização do homem no trabalho, mas também em toda sua existência. Após aplicar o questionário nas empresas, houve interesse de 30% pelo programa solicitando outra visita para esclarecimento de dúvidas e apresentação de idéias, pois o tempo durante a entrevista foi curto para a realização das mesmas.

CONCLUSÃO

A implantação da AL proporciona maior rendimento e produtividade, menor gasto com saúde, menor ocorrência de afastamentos, melhor integração entre funcionários, maior satisfação no trabalho e principalmente melhora da qualidade de vida dentro e fora do trabalho. Atualmente o assunto

Qualidade de Vida vem ganhando espaço para discussão e conseqüentemente sua valorização no ambiente de trabalho, incentivando as empresas a adotarem programas para a humanização do mesmo, possibilitando a obtenção retorno financeiro através do investimento realizado. Infelizmente grande parte das empresas de Itabuna ainda não possui AL, porém foi possível, através desta pesquisa, coletar dados e informações que justificam a não implantação deste serviço e alcançar o objetivo de demonstrar sua importância e benefícios tanto para a companhia quanto para seus funcionários.

REFERÊNCIAS

  • E.F. Órgão Oficial do CONFEF. Esportes de Aventura – Ginástica Laboral: definindo os campos de atuação. ano V. n°18. Novembro 2005.
  • E.F. Órgão Oficial do CONFEF. Ginástica Laboral – Competência do Profissional de Educação Física. ano IV. N° 13. Agosto 2004.
  • GIL, Antônio Carlos. Como Elaborar Projeto de Pesquisa. Atlas, 2002
  • MENDES, LEITE & Ricardo Alves,Neiva. Ginástica Laboral – Princípios e Aplicações Práticas. Manole, Barueri,SP, 2004.
  • MORAES, DELBIN & Camila, Maria Andréia. Por Que Implantar um Programa de Ginástica Laboral na Empresa?. Revista Administrativa
  • CREUPI – RACRE. n°09. jan/dez. 2005.
  • POLITO, BERGAMASCHI & Eliane, Elaine Cristina. Ginástica Laboral – Teoria e Prática. Sprint, Rio de Janeiro,RJ, 2002.
  • SABIERAJSKI, Flávio. Trabalhador São, Maior o Lucro. Disponível em: www.belladasemana.com.br, 2002. Acessado em: 27/09/2006 às 11:26 hs.

 

Janaína Coutinho Ramos

janacoutinho@hotmail.com
Trabalho de conclusão da disciplina Seminário de Pesquisa à Faculdade de Educação Física Montenegro.
Orientador: Prof°. Esp. Cássio Emílio O. Santos
Ibicaraí – BA, 21/12/ 2006.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *