Feb 11

Agachamento e joelho

agachamentoejoelhoO agachamento é um dos exercícios mais completos que podem ser realizados dentro das academias, pois envolve um elevado número de articulações e músculos, consistindo em um excelente meio de fortalecer a musculatura da coxa, do quadril e outros inúmeros coadjuvantes que atuam na realização do movimento.

Estes e outros fatores levam treinadores e atletas do mundo todo a referirem a ele como o “rei dos exercícios”. Além disso, sua execução é extremamente funcional, pois usamos esse tipo de movimento constantemente em nossas atividades diárias como, por exemplo, sentar e levantar de uma cadeira ou pegar um objeto no chão. Mesmo assim, ainda há quem o proíba ou restrinja seu uso sem uma explicação plausível, principalmente limitando sua amplitude em 90° de flexão dos joelhos. Continue reading

Feb 10

Agachamento e coluna

Na primeira parte do estudo (Agachamento e joelho), ficou claro que o agachamento:

  • Não traz prejuízo para o joelho;
  • Este exercício pode, deve e tem sido usado com fins terapêuticos;
  • As lesões no joelho geralmente são causadas pela combinação de altos volumes de treinamento e técnica inapropriada;
  • As forças tensionais e compressivas desse tipo de exercício estão totalmente dentro das capacidades fisiológicas e articulares.

Na segunda parte, será abordado o tema: agachamento e coluna.

Coluna

A dor lombar normalmente é atribuída à prática do agachamento, o que é pouco provável. Contudo, devemos ressaltar que os mecanismos da dor lombar ainda não estão totalmente esclarecidos e sua causa pode ser uma manifestação que envolve vários fatores. Se os exercícios forem realizados de maneira racional, com técnica correta, o risco de lesão é mínimo.  Continue reading

Jan 08

Teste de agachamentos

Finalidade: mensurar a quantidade de agachamentos e consequentemente a resistência de toda a musculatura envolvida.

Equipamentos necessários: uma cadeira ou banco, caneta e papel.

Procedimentos: o avaliado se posicionará na frente de uma cadeira ou banco com os pés afastados lateralmente na largura do ombro, de costas para ele. As mãos deverão ser colocadas na cintura. Agacha-se flexionando os joelhos até tocar a musculatura glútea levemente na cadeira antes de realizar uma nova extensão de joelhos. A cadeira ou banco deverá ter a altura necessária para que o avaliado ao sentar-se forme um ângulo reto nas articulações dos joelhos. A sequência de agachamentos é feita até que o avaliado entre em exaustão ou se torne incapaz de realizar o movimento com perfeição. O avaliado deverá manter a coluna ereta evitando a flexão do tronco à frente. Continue reading

Jun 22

Exercícios proibidos

Há algum tempo, surgiram comentários sobre determinados exercícios na sala de musculação e seus supostos potencias lesivos. Isto gerou algo como uma “lista negra” de exercícios proibidos de serem realizados. Seriam eles: a puxada alta nas costas, o desenvolvimento para ombros, a remada curvada e o agachamento.

Estes exercícios estariam “condenados” por causa de um suposto alto índice de lesão, mais especificamente na articulação glenoumeral (ombro), região lombar e articulação fêmurotibial (joelho). Aqueles que advogavam, ou advogam, contra tais exercícios tentam se basear em alguns estudos que sugerem haver relação entre os movimentos realizados nesses exercícios e processos lesivos. Continue reading

Jun 20

Agachamento e joelho

O agachamento está entre os exercícios mais completos que se pode realizar dentro das academias, envolve um elevado número de articulações e músculos e consiste em um excelente meio de fortalecer e desenvolver a musculatura da coxa, quadril, lombar, perna e outros inúmeros coadjuvantes que atuam na realização do movimento. Além disso, sua utilização é extremamente funcional, pois utilizamos esse tipo de movimento constantemente em nossas atividades diárias como, por exemplo, para sentar e levantar de uma cadeira ou pegar um objeto no chão. Esses, e outros fatores, levam treinadores e atletas do mundo todo a se referirem a ele como o “rei dos exercícios”. Mesmo assim, ainda há quem o proíba ou restrinja seu uso sem qualquer explicação plausível. Continue reading