Jun 04

Atividade física e varizes (doenças vasculares periféricas)

As doenças vasculares periféricas (DVP) envolvem um grupo de doenças crônico degenerativas e síndromes que afetam os sistemas arteriais, venosos e linfáticos, como resultado de anormalidades funcionais e/ou estruturais (1, 3). Caracterizando-se como um problema de circulação que provoca estreitamento, obstrução, ou ambos, dos vasos que conduzem o sangue ou a linfa para braços e pernas, prejudicando o fluxo normal (1,2). Desta forma, a troca de material entre o sangue e os tecidos, o fornecimento de nutrientes, a remoção de produtos do metabolismo, a defesa e o reparo de tecidos fica comprometida (5), refletindo na saúde e qualidade de vida das pessoas.

Fatores de risco

Pessoas acima dos cinquenta anos, do sexo feminino e que apresentam histórico familiar de DVP, são mais suscetíveis ao aparecimento e desenvolvimento destas doenças (1). Estes fatores não são passíveis de mudança, sendo classificados como fatores de risco fixos.

Entretanto, a maior parte dos fatores de risco das DVPs, apresenta grande possibilidade de intervenção preventiva ou terapêutica. Notem, por exemplo, que os países industrializados e os em desenvolvimento são campeões em prevalência de DVP (1,3), demonstrando que o estilo de vida da maioria das pessoas por si só, já é potencialmente um fator de risco. Inclui-se nestes fatores chamados modificáveis: o tabagismo, o estresse, o sedentarismo, a hipertensão, a diabetes mal controlada, a obesidade e outras doenças cardiovasculares (1,6). Continue reading

Dec 20

Dicas para atividades físicas no verão

1- Procurar o horário de menor agressividade do Sol

2- Usar proteção contra os raios UV solares cada 2h: corpo e cabeça

3- Usar proteção dos olhos para excesso de luminosidade

4- Usar roupas leves próprias para o verão: nada de roupas que impeçam a troca de calor com o ambiente: abrigos de nylon etc. Use algodão ou tecidos como “dry fit” verdadeiros, que ajudam a prevenir a desidratação e hipertermia. Continue reading

Jun 30

Recomendações de atividades físicas para crianças menores de 5 anos

Quanto de atividade física as crianças menores de 5 anos de idade precisam fazer para se manterem saudáveis?

Ser fisicamente ativo a cada dia é importante para o crescimento e desenvolvimento saudável de bebês e crianças com idade pré-escolar. As crianças, do nascimento aos cinco anos devem participar de atividades físicas diárias, que promovam a saúde relacionada à aptidão e habilidades motoras.

É preciso minimizar a quantidade de tempo que as crianças ficam sentadas assistindo TV, mexendo no computador e andando de carro ou ônibus.

Para essa faixa etária, a atividade física de qualquer intensidade deve ser incentivada, incluindo-se atividades leves e atividades de intensidades mais elevadas.

A quantidade de atividade física semanal necessária é determinada de acordo com a faixa etária. Seguem abaixo as recomendações para a prática de atividades físicas para bebês e crianças de até 5 anos de idade. Continue reading

Jun 26

Exercício: bom para o bebê, ótimo para a gestante

SAÚDE É VITAL! – Ninguém ousa discutir os benefícios da atividade física, mas quando a mulher engravida não faltam mães, tias e avós prontas para recomendar vivamente que a futura mamãe pegue bem leve ou que, no máximo, faça uma caminhadinha. Uma pena. As gestantes podem e devem tirar proveito dos arquiconhecidos efeitos positivos dos exercícios. Para elas mexer-se traz ainda um outro ganho: o risco de um parto prematuro cai pela metade. Isso é o que revelou um estudo inédito, finalista da segunda edição do Prêmio SAÚDE!.

Conduzido pelo professor de educação física Marlos Domingues na Universidade Federal de Pelotas, no Rio Grande do Sul, ele avaliou o perfil de absolutamente todas as mulheres que deram à luz naquela cidade gaúcha em 2004 algo em torno de 4 mil mães. A proporção de partos antes do programado foi menor entre aquelas que se exercitaram durante toda a gestação e, principalmente, no terceiro trimestre, justamente o período em que as grávidas costumam reduzir o ritmo. Continue reading

Jun 25

Qual o melhor tipo de roupa para a prática de atividade física?

Na antiguidade a roupa era um acessório usado para a proteção contra o frio, mas com o passar dos tempos foi tornando-se um adorno para incrementar a vaidade, e a partir desse momento começou a produção têxtil, que acrescentou às roupas feitas de peles de animais, as tecidas por materiais como a lã e o algodão. Então criou-se a moda. E inevitavelmente entramos nesse contexto. É praticamente uma obrigação social vestir-se bem, afinal de contas ninguém vai a um casamento vestindo bermuda e camiseta regata!!!

Bom, vamos então para o que interessa: quem por acaso nunca viu na rua uma pessoa correndo sob um sol de mais de 30°C trajando calça e casaco de moletom? Provavelmente esse indivíduo não está preocupado com as tendências da moda ou muito menos passando frio, na verdade ele está numa tentativa (equivocada) de emagrecer. Tem até aquelas outras pessoas que não estão acima do peso, mas apenas com uma barriguinha saliente, então o que fazem? Colocam um plástico em volta da cintura, na tentativa de “derreter” a gordura da barriga. Mas será que esse tipo de prática funciona? Continue reading

Jun 23

Porque as empresas de Itabuna-BA não implantam atividades laborais

RESUMO

A tendência mundial na busca de melhor qualidade,fez surgir nas empresas programas voltados aos funcionários,são as atividades laborais.Estas, são praticadas durante o horário da jornada de trabalho,visando o bem-estar das pessoas e lucro para a própria empresa.Esta pesquisa realizada em dez empresas de Itabuna-BA,traça o perfil dos programas de atividades laborais em prática e os motivos pelos quais empresas não adotam este programa laboral.Percebe-se que muitas empresas em Itabuna-Ba não conhecem a importância e os objetivos da atividade laboral.Algumas por motivo de redução de custo,falta de espaço físico e ausência de planejamento e orçamento,deixam de investir na saúde e qualidade de vida no trabalho de seus empregados , e conseqüentemente no aumento da produtividade.Os benefícios e resultados obtidos pelas empresas após a implantação de atividades laborais são bastantes satisfatórios e de fundamental importância para seus desenvolvimento social e financeiro.

Palavras-chave: atividades laborais, empresas, qualidade de vida, produtividade, saúde. Continue reading

Jul 28

Atividade física em mulheres diabéticas

O aumento de atividade física tem sido associado a um risco reduzido de doença cardiovascular na população em geral, mas o que acontece em relação às mulheres diabéticas?

F B. Hu e colaboradores, da Harvard School of Public Health, fizeram um estudo com 5.125 enfermeiras com diabetes, durante 14 anos de seguimento, cuja a atividade física foi avaliada em 1980 e foi depois atualizada em 1982, 1986, 1988, e 1992 por questionários. A média de horas de exercício moderado ou vigoroso foi transformado em pontuação e foram registradas. Os autores constataram que surgiram 323 casos de doença cardiovascular (225 casos de doença arterial coronariana e 98 casos de acidente vascular).

O risco relativo ajustado por idade, de acordo com a média de horas de exercício físico moderado ou vigoroso por semana foi menos de 1 exercício (quase nada) e o risco de ter essas doenças era de 1; quando a carga de exercícios chegava a escala maior ou igual a 7 o perigo de aparecer essas doenças era reduzido pela metade 0,52. Esses dados não mudaram depois de se ajustar os índices por fumo, índice de massa corporal, e outros fatores de risco cardiovascular. Caminhada habitual com passos rápidos foi o melhor exercício associado com baixo risco.

Referência:
Ann Intern Med.16/1/ 2001 ;134(2):96-105

Fonte:
Revista de Atualização Médica

Feb 11

O papel das proteínas na atividade física

Existe a argumentação de que a proteína é utilizada apenas num grau limitado como combustível energético durante o exercício (apenas 5 a 10 % da energia total). Na verdade, ela são utilizadas para proporcionar os blocos formadores de aminoácidos para síntese tecidual, mas estudos demonstram que há aumento da concentração de uréia plasmatica, o que está acoplado a uma elevação dramática da excreção de nitrogênio no suor, evidenciando o aumento da utilização de proteína durante o exercício. Continue reading