May 12

Teste de impulsão horizontal

O teste de impulsão horizontal, também chamado de salto em distância é um teste comum e de fácil aplicação.

  • Finalidade: tem como finalidade mensurar a força explosiva de membros inferiores no plano horizontal.
  • Equipamentos necessários: trena para medir a distância do salto, piso antiderrapante para a decolagem com área de pouso de preferência macia para absorção do impacto, giz ou lápis para marcação.  A linha de posicionamento dos pés antes do salto deve ser claramente identificada.
  • Procedimentos: o avaliado posiciona-se atrás de uma linha marcada no chão com os pés ligeiramente afastados. Salta-se horizontalmente a maior distância possível com a ajuda da flexão das pernas e  utilizando o balanço dos braços. São realizadas 3 tentativas.
  • Resultado: registra-se o melhor resultado das 3 tentativas. O resultado é dado em centímetros, medindo-se a distância entre a linha de partida e a marca mais próxima alcançada pela parte do corpo que tocou a solo. Abaixo temos algumas tabelas de classificação dos resultados.

Tabela 1 – Classificação do teste de salto horizontal

Fonte: Rocha & Caldas (1978) (citado por Marins & Giannichi, 1998)

Tabela 2 – Classificação do teste de salto horizontal

Fonte: Lancetta (1988) (citado por Marins & Giannichi, 1998)

  • Vantagens: é um teste simples e rápido para executar, exigindo o mínimo de equipamentos.
  • Desvantagens: pessoas com lesões em articulações em membros inferiores e pesssoas obesas terão limitações na execução do teste.

Referências bibliográficas:

MARINS, J. C. B.; GIANNICHI, R. S. Avaliação e prescrição de atividade física: guia prático. 2ª ed. Rio de Janeiro: Shape, 1998.

TSN. Standing Long Jump Test (Broad Jump) [Internet]. Topend Sports Network [acesso em 19 de fevereiro de 2012]. Disponível em: http://www.topendsports.com/testing/tests/longjump.htm

 

Prof. Luciano Carlos Fernandes
Educador Físico – CREF 6 / MG – 4812 G
Pós-Graduado em Treinamento Desportivo – UFV
Editor do www.educacaofisica.org

Jun 01

Teste de Banco do Queens College

O Teste de Banco do Queens College é também conhecido como Teste de Banco de McArdle.

Este teste é de estágio único com duração de 3 minutos.

Objetivo: É um teste submáximo que dá uma medida da resistência ou da aptidão cardiorrespiratória.

Equipamentos necessários: banco com 41,3 cm de altura, cronômetro, metrônomo, ou fita de cadência, monitor cardíaco (opcional). Continue reading

Jan 08

Teste de agachamentos

Finalidade: mensurar a quantidade de agachamentos e consequentemente a resistência de toda a musculatura envolvida.

Equipamentos necessários: uma cadeira ou banco, caneta e papel.

Procedimentos: o avaliado se posicionará na frente de uma cadeira ou banco com os pés afastados lateralmente na largura do ombro, de costas para ele. As mãos deverão ser colocadas na cintura. Agacha-se flexionando os joelhos até tocar a musculatura glútea levemente na cadeira antes de realizar uma nova extensão de joelhos. A cadeira ou banco deverá ter a altura necessária para que o avaliado ao sentar-se forme um ângulo reto nas articulações dos joelhos. A sequência de agachamentos é feita até que o avaliado entre em exaustão ou se torne incapaz de realizar o movimento com perfeição. O avaliado deverá manter a coluna ereta evitando a flexão do tronco à frente. Continue reading

Aug 05

AVAESPORTE – Software de Avaliação Física e Prescrição

Ferramenta de trabalho extremamente útil para o Profissional de Educação Física

Banner 300x300(v3)Desenvolvido na Universidade Federal de Viçosa, com apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia, o software AVAESPORTE vem atender a necessidade dos profissionais de educação física, que necessitam de uma ferramenta de avaliação e prescrição de treinamento esportivo completa, com alto padrão científico e a um preço acessível.

Diferentemente dos sistemas existentes no mercado voltados principalmente para o uso em academias, o AVAESPORTE foi desenvolvido visando atender ao profissional de educação física esteja ele trabalhando como personal, em academias, escolas, clubes esportivos, podendo ser usado ainda como ferramenta acadêmica e de pesquisa em universidades e centros de ensino. Continue reading

Jun 28

Avaliação Física

A avaliação física é extremamente importante para quem quer obter bons resultados em seus treinamentos. O programa serve para avaliar o aluno de uma forma geral, determinar seu condicionamento físico, pesos, medidas, limitações e contra-indicações. Com isso, o professor tem condições de criar um programa de treinamento ideal para o seu aluno

Vídeo: Corpo Perfeito

Fonte: YouTube

Jun 27

Teste de supino da Associação Cristã de Moços para resistência muscular

O teste de supino da ACM é um teste para mensurar a resistência de força muscular da musculatura peitoral e de membros superiores. Neste teste, os avaliados realizam tantas repetições quanto possível a uma cadência de 60 batidas por minuto.

  • Finalidade: para medir a resistência da força muscular de peitoral e membros superiores.
Jun 24

Teste de caminhada em esteira (Single-Stage Sub-Maximal Walking Test)

Single-Stage Sub-Maximal Walking Test

Procedimentos: O avaliado irá caminhar na esteira em ritmo vigoroso, porém confortável, durante 4 minutos, que se caracteriza como um aquecimento.

A velocidade de caminhada pode variar de 2,0 a 4,5 mph, até que ocorra uma estabilização da caminhada na esteira. Isto poderá ocorrer por volta de 02 a 04 minutos, onde a inclinação da esteira será igual a 0 %. Continue reading

Jun 23

Teste de Rockport

Também conhecido como teste de caminhada de 1 milha.

Objetivo: determinação do VO2 máximo em indivíduos com baixa aptidão física.

Procedimentos: Antes do início do teste coleta-se o peso corporal do avaliado. Após um aquecimento, o avaliado irá caminhar o mais rápido possível a distância de uma milha (1.609 metros). Ao final do percurso afere-se a frequência cardíaca e o tempo gasto para completar o percurso.

A determinação do VO2 máx é feita a partir da seguinte equação:

VO2 max = 132,6 – (0,17 x PC) – (0,39 x idade) + (6,31 x S) – (3,27 x T) – (0,156 x FC) Continue reading

Jun 22

Protocolo de Banco de Balke

O protocolo de banco de Balke utiliza bancos de alturas variáveis envolvendo desta forma cargas variadas durante o decorrer do teste. Os bancos possuem alturas diferenciadas correspondendo a 10, 20, 30, 40 e 50 cm de altura. Estes bancos deverão ser colocados próximos um do outro para que facilite sua troca durante a execução do teste.

Objetivo: O objetivo deste teste é determinar a aptidão aeróbica.

Procedimentos: O testado após um breve aquecimento começa a subida e descida no ergômetro, numa frequência de 30 passadas por minuto. Para isto ajusta-se o metrônomo para uma frequência de 120 batimentos por minuto. Ao final de cada 3 minutos o banco é trocado sem interrupção e é verificada a frequência cardíaca. Um dos critérios para encerrar o teste corresponde o avaliado atingir 85 a 90% da frequência cardíaca máxima.

Com o final da realização do teste, aplica-se a seguinte fórmula para o cálculo do VO2max:

VO2max (kg.min)-1= (h x n x 1,33 x 1,78) +10,5

Onde:

h = altura do banco.

n = número de subidas por minuto.

1,33 = trabalho positivo (ascendente) e mais 1/3 para o negativo (descendente).

1,78 = ml de O2 necessário para 1 kg.m de trabalho.

10,5 = trabalho horizontal adicionado ao movimento vertical.

Vantagens: O teste de banco de Balke pode ser aplicado a um grande número de pessoas. Pode ser aplicado em crianças a partir de 10 anos até idosos com 60 anos de idade. com bom condicionamento físico. Também requer materiais simples e de baixo custo.

Desvantagens: Pessoas obesas, de baixa estatura, com lesões nas articulações de MMII apresentação limitações na execução do teste. Também é comum pessoas não completarem o teste por fadiga de MMII. Outra desvantagem deste protocolo é a dificuldade na troca do banco durante o teste.

Referência Bibliográfica:

MARINS, J. C. B.; GIANNICHI, R. S. Avaliação e prescrição de atividade física: guia prático. 2ª ed. Rio de Janeiro: Shape, 1998.

Imagem: www.topendsports.com

Prof. Luciano Carlos Fernandes
Educador Físico – CREF 6 / MG – 4812 G
Pós-Graduado em Treinamento Desportivo – UFV
Editor do www.educacaofisica.org

Jun 22

Avaliação da flexibilidade (Flexiteste)

A flexibilidade é uma das principais variáveis da aptidão física relacionada à saúde. Define-se como a máxima amplitude fisiológica passiva em um determinado movimento articular, sendo específica para a articulação e para o movimento. O Flexiteste proposto por Pável e Araújo (1980) permite a medida da flexibilidade de 20 movimentos articulares, em uma escala crescente de números inteiros entre 0 e 4, e a obtenção de um resultado global denominado de Flexíndice.

O Flexiteste consiste na medida e avaliação da mobilidade passiva máxima de vinte movimentos articulares corporais (36 se considerados bilateralmente), que engloba as articulações do tornozelo, joelho, quadril, “tronco”, punho, cotovelo e ombro. Dentre os vinte movimentos, oito são realizados nos MMII, três no tronco e nove restantes nos MMSS. A numeração dos movimentos é feita em um sentido distal-proximal. Continue reading