Jun 30

O uso de anabólicos esteroides androgênicos nos esportes

American College Of Sport Medicine – Posicionamento Oficial

Baseado em um abrangente levantamento bibliográfico e uma análise cuidadosa dos aspectos referentes aos efeitos ergogênicos e os efeitos adversos dos anabólicos esteroides androgênicos, esta é a posição oficial do Colégio Americano de Medicina Esportiva apresentando: Continue reading

Jun 24

Esteróides Anabolizantes

Metabolismo:

Os anabolizantes esteróides são hormônios derivados de hormônios. O termo esteróide significa óleo sólido e se origina do grego “stereos”, que significa sólido e do latim “oleum”, que significa óleo basicamente. Os anabolizantes esteróides são cadeias de moléculas envolvendo 17 átomos de carbono que possuem a habilidade de se transformar em sub-produtos do metabolismo chamados metabólitos. Continue reading

Jun 24

Ética, drogas e esportes

A conduta ética deve ser parte integrante da vida esportiva, social e profissional de todos aqueles indivíduos envolvidos e compromissados com a saúde, com a educação e com o bem estar da coletividade. Ética é simplesmente o conjunto de atitudes e sentimentos interrelacionados indo do respeito ao ser humano e natureza em sua forma mais ampla, passando pela fidelidade aos objetivos cientificamente traçados para a vida profissional e culminando nos princípios morais e sociais dentre outros; os quais contribuem definitivamente para que o homem alcance o equilíbrio entre a natureza e o seu próprio eu. Continue reading

Jun 23

O poder da motivação

Desde o meu último texto, venho explanando sobre assuntos que me deparo no decorrer do dia-a-dia, no trato com os meus clientes e nas conversas que escuto dos mesmos na academia (lugar, que eu acredito, acrescentar muito na minha formação como profissional e como pessoa, além de contribuir no entendimento prático do que leio nos livros e nos artigos científicos). Desta vez, observei um aluno, que ficou muito tempo sem freqüentar a academia.

Após um breve retorno aos treinos, ele mostrou um desenvolvimento fantástico (“possivelmente”, devido à utilização de recursos farmacológicos), mas, logo depois, parou de treinar adequadamente, e o óbvio ocorreu: perda de massa magra acentuada e queda na auto-estima. Nas nossas conversas informais, revelou que estava utilizando fat burners para aumentar a sua disposição para os treinos, já que os mesmos, sem a ingestão de tais suplementos, nunca eram os mesmos… Uma pena, pois, como este indivíduo, várias pessoas creditam o seu sucesso e sua determinação ao uso de substâncias, e não de uma permissão pessoal e uma busca em direção daquela meta almejada. Continue reading

Jun 21

Anabolizantes

O QUE SÃO?

Os anabolizantes ou esteróides anabólicos são produzidos a partir do hormônio masculino testosterona, potencializando sua função anabólica, responsável pelo desenvolvimento muscular.

QUAIS SÃO OS TIPOS MAIS COMUNS DE ANABOLIZANTES DO MERCADO?

São produzidos vários tipos de esteróides anabólicos pela indústria farmacêutica: supositórios, cremes, selos de fixação na pele e sublingual, porém os mais consumidos são os orais e injetáveis sendo que seu uso ilícito pode levar o usuário a utilizar centenas de doses a mais que o recomendado pelo médico. Continue reading

Sep 27

Álcool e tabaco são mais prejudiciais que maconha, LSD e ecstasy

A nova tabela de drogas publicada na última edição da revista médica The Lancet indica que bebidas alcoólicas e tabaco são mais perigosos que maconha, LSD e  ecstasy.

Veja o ranking das mais nocivas:

1. Heroína
2. Cocaína
3. Barbitúricos
4. Metadona
5. Álcool
6. Anfetaminas
7. Benzodiazepinas
8. Ketamina
9. Tabaco

A tabela, baseada nos danos físicos causados ao usuário, na dependência e no efeito de seu uso nas famílias, nas comunidades e na sociedade, classifica a maconha como a décima primeira colocada, o LSD em décimo quarto lugar e o ecstasy é o décimo oitavo colocado.

Um grupo de especialistas independentes, com cientistas forenses e psiquiatras, classificaram cada categoria numa escala de 0 a 3, que vai de “nenhum risco” a “risco extremo“. A heroína marcou 2,7 pontos e o álcool menos de 2. O tabaco marcou 1,7 ponto e o ecstasy, 1,1.


Texto: Cassiano Sampaio

Fonte: Saúde em Movimento
Publicado em: 04/04/2007