Jun 25

Estresse estimula fissura por doces em mulheres

sobreobesidadeA vontade de comer doces que algumas mulheres sentem pode ter uma explicação: o estresse. Uma pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP mostrou que mulheres estressadas têm sete vezes mais chances de desenvolver a Dependência de Substâncias Doces (DSD) que também é conhecida como fissura por alimentos doces. O estudo foi realizado pela aluna de mestrado Danielle Marques Macedo, sob orientação da professora Rosa Wanda Diez Garcia, do Departamento de Nutrição e Metabolismo da FMRP. Continue reading

Jun 23

Concentração de hormônio para mensurar estresse

Pesquisas usam concentração de hormônio para mensurar estresse

Pesquisa desenvolvida no Instituto de Biologia (IB) apontou que pessoas das classes D e E possuem maiores concentrações de cortisol – um dos principais hormônios relacionados ao estresse – em comparação a níveis encontrados em executivos de uma multinacional na região de Campinas.

As avaliações de executivos do sexo masculino e feminino foram realizadas pelos pós-graduandos Aglécio Luis de Souza, Geruza Perlato Bella e Márcia Carvalho Garcia. O grupo avaliou 80 voluntários. Trata-se do primeiro estudo do gênero feito em um país em desenvolvimento. As pesquisas foram realizadas no Laboratório de Estudo do Estresse do IB e orientadas pelas professoras Regina Célia Spadari e Dora Maria Grassi-Kassisse. Continue reading

Feb 12

Alterações imunes e hormonais do estresse estão associadas ao gênero

Experimentos do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da USP demonstraram que homens, ao enfrentarem uma situação de estresse agudo, sofrem mais alterações hormonais relacionadas ao estresse (ACTH e cortisol) e na imunidade do que as mulheres. O estudo investigou as alterações na imunidade ocasionadas pela indução de estresse agudo em pessoas com ou sem fobia social.

Para sua pesquisa de doutorado, a psicóloga Alessandra Fernandes Faustino aplicou um método de indução de estresse agudo em dois grupos: um experimental, composto por 13 pessoas (7 mulheres e 6 homens) com diagnóstico de fobia social, e um de controle, no qual as 19 pessoas (7 mulheres e 12 homens) não tinham nenhuma patologia psiquiátrica. Os membros de ambos os grupos tinham de estar saudáveis do ponto de vista físico e psicológico e não podiam estar passando por situações difíceis no trabalho e na família. No grupo com fobia social não foram incluídas pessoas com outros transtornos como, por exemplo, a depressão. Continue reading

Oct 29

Preconceito é principal causa de estresse no futebol feminino

No país do futebol, preconceito ainda impõe barreiras à prática feminina

Para mais da metade das atletas entrevistadas, visão “sexista” da sociedade sobre o futebol feminino é a maior geradora de problemas na saúde emocional. A pesquisa ainda aponta preconceito como violador de Direitos Humanos.

O preconceito é a principal causa de estresse emocional entre atletas de futebol feminino. É o que mostra uma pesquisa da Instituto de Psicologia (IP) da USP. “Esta foi minha primeira constatação. E é bom lembrar que o estresse emocional é prejudicial à saúde”, diz o professor Jorge Dorfman Knijnik, autor do estudo.
O pesquisador conta que o esporte foi escolhido como tema por representar uma marca cultural brasileira. “O objetivo é discutir as relações sociais de gênero numa sociedade em que existe uma comparação ‘natural’ da mulher com o homem. E também provocar uma tomada de consciência que leve à criação de espaços esportivos não sexistas”. Continue reading