Jun 21

Diabetes: Introdução e a importância da atividade física na prevenção e tratamento

O diabetes melito é a mais comum disfunção endócrina do pâncreas, atingindo mais de 150 milhões de pessoas em todo mundo, o que significa que quase 5% da população mundial tem essa doença. No Brasil 7.6% das pessoas entre 30 e 69 anos tem diabetes. O diabetes, se não bem controlado, pode trazer sérios riscos para saúde: como insuficiência renal, cegueira, amputações dos pés e pernas, lesões nervosas e doenças cardiovasculares, como hipertensão e derrame.

O diabetes diminui a capacidade que o organismo tem de metabolizar a glicose retirada dos alimentos, uma vez que essa glicose não consegue penetrar na célula, ficando em altas concentrações na corrente sangüínea, o que acaba por fazer com que os rins tenham que trabalhar mais para poder elimina-la pela urina.

A insulina é o hormônio responsável pelo transporte da glicose para o interior de quase todas as células do corpo. Sabendo disso podemos diferenciar os dois tipos mais comum de diabetes: tipo 1 (insulino-dependente) e tipo 2 (não insulino-dependente). Continue reading

Jun 20

Às cinco, na Academia

Às cinco da tarde, começou a aula na academia de ginástica. Na praça central da cidade, no horário em que as pessoas retornam do trabalho para suas casas, um estranho homem, bastante velho, cabelos e barbas longos e brancos, subiu no assento de um banco, chamando a atenção dos passantes. Creio que não existe horário melhor para realizar uma seção de ginástica que o final de tarde.

É o momento em que os dispositivos fisiológicos mais intensamente se mobilizam; recordes mundiais de atletismo costumam ser quebrados no pôr-do-sol. Na praça, às dezessete horas, quando o céu está claro, há luzes peculiares, que tingem de dourado as folhas das árvores e os rostos das pessoas. É nesse finzinho de tarde que os pardais retornam aos seus ninhos, enchendo as copas das árvores com sua algazarra. Bob, discreto como sempre, chegou atrasado à aula, o que não era seu hábito, apenas três minutos. Continue reading

Jun 20

Exercício físico e hipertensão arterial: relato de caso

Paciente I.A., sexo feminino, 56 anos, branca, casada, natural de Campinas, SP, na pós-menopausa, com hipertensão arterial detectada há 6 meses, assintomática, sem uso de medicação, encaminhada para programa de atividade física supervisionada.

Antecedentes pessoais:

  • nega
    – tabagismo,
    – etilismo,
    – diabete,
    – dislipidemias,
    – história prévia de hipertensão arterial,
    – doenças cardiovasculares ou outras doenças crônicas,
    – uso de medicamentos. 
  • Refere sedentarismo.

Antecedentes familiares:

  • pai hipertenso,
  • tio falecido de infarto agudo do miocárdio.

Exame físico:

  • PA = 165 x 100 mmHg,
  • FC = 92,
  • Peso = 60 kg.
  • Não foram encontradas outras anormalidades ao exame físico, exceto exame de fundo de olho, que apresentava aumento do reflexo arteriolar.Exames laboratoriais:
  • sem alterações,
  • ECG normal,
  • teste ergométrico negativo.

Evolução:

  • A paciente foi admitida em programa de condicionamento físico de prevenção primária com treinamento, três vezes por semana, com exercícios isotônicos, com 60% – 70% da freqüência cardíaca máxima, durante período de seis meses, após o qual repetiu o teste ergométrico para comparação evolutiva de parâmetros hemodinâmicos. Durante esse período, não apresentou efeitos adversos relacionados ao programa. Continue reading
Jun 20

Exercício e Emagrecimento: mitos e verdades

O verão chegou! O calor vai aumentando e a preocupação com o corpo também. Aqueles quilinhos extras adquiridos no inverno precisam ser eliminados a qualquer custo! É como já sabemos, a alimentação balanceada e a prática de exercício físico são as principais maneira de se atingir este objetivo de uma maneira saudável.


Com relação à atividade física, uma das questões que atormenta os freqüentadores dos “templos da malhação” e alguns profissionais da área da saúde, como os profissionais da Educação Física e da Nutrição, é o estabelecimento da intensidade ideal do exercício para o controle do peso corporal.

A construção dos mitos em torno desta questão é sustentada por 3 alicerces, o primeiro seria a dificuldade no entendimento dos sistemas de transferência de energia no organismo, o segundo seria a interpretação equivocada de alguns resultados de pesquisas científicas e o terceiro é o empirismo que norteia a prática da atividade física.

Continue reading

May 30

Exercícios para glúteos

O glúteo máximo é o maior e mais superficial dos glúteos, com origem no íleo e sacro e inserção no fêmur, tendo como ação principal a extensão do quadril. Aparentemente, esse músculo foi criado com a finalidade de produzir movimentos fortes e rápidos. Algumas evidências para isso são sua grande área de secção transversa em relação ao comprimento, seu ângulo de penação e a elevada proporção de fibras tipo II. Por esse motivo, é recomendável que tal músculo seja exercitado por meio de treinos que envolvam elevada produção de força, fato comprovado em estudo recente (Bryanton et al., 2012). A confirmação dessa sugestão fica bem clara ao analisarmos o desenvolvimento dessa musculatura em velocistas, saltadores e levantadores de peso, por exemplo.

No entanto, dentro das academias se criou a cultura de trabalhar o glúteo máximo de uma maneira totalmente diferente dessa proposta, utilizando-se pouca carga e muitas repetições em exercícios de isolamento, como a extensão de quadril em quatro apoios. Interessante notar que a exaltação desse exercício é quase uma exclusividade brasileira, uma invenção que se tornou febre e virou presença obrigatória nos treinos femininos. Mas a utilização de exercícios de isolamento para glúteos é algo extremamente questionável do ponto de vista técnico. Continue reading