Nov 14

Dinamometria lombar (tração lombar)

O teste de dinamometria lombar é um teste que mede a capacidade de tração da musculatura lombar. A dinamometria lombar geralmente é utilizada em exames médicos, exames funcionais e ocupacionais, exames militares, avaliações físicas em escolas, clubes, academias, avaliação de desenvolvimento físico, avaliação de recuperação motora, sendo aplicada a indivíduos em estado normal de saúde, em processo reabilitação, ou de treinamento desportivo.

Equipamentos necessários

Dinamômetro lombar (dorsal), cronômetro.

Público alvo

Ideal para indivíduos adultos de ambos os sexos.

Procedimentos

Para a realização do teste de tração lombar, o avaliado deverá se posicionar em pé sobre a plataforma do dinamômetro com os joelhos completamente estendidos. O tronco ficará flexionado à frente formando um ângulo de aproximadamente 120º. O avaliado deverá posicionar a cabeça no prolongamento do tronco com o olhar fixado à frente e os braços estendidos.

O cabo do dinamômetro deverá ser ajustado de acordo com o tamanho do avaliado, de modo que ele possa segurar a barra de apoio mantendo a posição descrita anteriormente. A barra de apoio deverá estar posicionada próxima à altura do joelho do avaliado. A empunhadura de uma das mãos deverá ser dorsal e a outra palmar, tendo uma distância entre elas igual ao diâmetro bitrocantérico.

Coloca-se o ponteiro na posição zero da escala do dinamômetro e o avaliado deverá aplicar a maior força possível no movimento de extensão da coluna, utilizando os músculos da região lombar, fazendo com que a coluna fique na posição ereta.

Durante este movimento as pernas e os braços deverão permanecer estendidos, evitando que o avaliado realize qualquer tipo de movimento adicional com os membros inferiores e superiores. Continue reading

Apr 01

Treinamentos com cargas leves causam hipertrofia tanto quanto treinamentos com cargas pesadas

cargas levesAcredita-se que para obter ganhos significativos de massa muscular, o treinamento deve ser realizado com séries de 8 a 15 repetições com cargas pesadas.

Décadas de pesquisas nos dizem que levantar cargas pesadas é a única forma eficaz de aumentar a força e a massa muscular. Pesos leves com repetições elevadas são incapazes de proporcionar sobrecargas suficientes para ganhos de força e hipertrofia muscular. De fato, o princípio da sobrecarga nos diz que para haver ganhos o corpo humano deve ser forçado a adaptar-se a uma carga de trabalho que esteja acima e além do que já tenha experimentado.

Ratamess et al (2009) afirma que contrações com cargas elevadas (isto é, ≥ 70% de 1 RM) devem ser realizadas para proporcionar um estímulo ótimo ao crescimento muscular. 1 RM significa uma repetição máxima, ou seja, a quantidade máxima de peso que pode ser levantada através de um movimento completo.

Recentemente, no entanto foi estabelecida que a síntese de proteínas miofibrilares já é estimulada com cargas superiores a 60% de 1 RM (Kumar et al., 2008).

O American College of Sports Medicine recomenda uma resistência mínima de 60-70% de 1 RM para sujeito iniciantes e cargas entre 80-100% para sujeitos avançados.

No entanto, alguns estudos recentes demonstraram que o treinamento de força com cargas mais leves foi capaz de promover um crescimento muscular semelhante ao treinamento com cargas mais elevadas. Continue reading

Feb 13

Dinamometria manual (preensão de mão)

A dinamometria manual consiste em um teste simples e objetivo que tem como princípio a aferição da força máxima voluntária de preensão manual. Consiste num teste realizado com um aparelho portátil chamado dinamômetro sendo um procedimento rápido, de baixo custo e pouco invasivo.

Equipamentos necessários: dinamômetro manual, cronômetro

Procedimentos: Estudos indicam que as variações da posição do corpo influenciam significativamente nos resultados da avaliação da força de preensão de mão. Desta forma a American Society of Hand Therapists (ASHT) recomenda que o avaliado esteja confortavelmente sentado, posicionado com o ombro aduzido, o cotovelo fletido a 90º, o antebraço em posição neutra e, por fim, a posição do punho pode variar de 0 a 30º de extensão. Continue reading

Oct 24

A influência da supervisão do personal trainer sobre o desempenho da força

personalUm estudo realizado no Laboratório de Performance Humana da Universidade de Ball State, Muncie, Estados Unidos; comparou as alterações na força máxima, potência e resistência muscular após 12 semanas de periodização de treinamento resistido (musculação) supervisionado diretamente por um personal trainer versus o treinamento sem a supervisão de um personal training.

Neste estudo, 20 homens treinados com média de idade de 24,6 anos foram divididos aleatoriamente em dois grupos. Os dois grupos realizaram programas de treinamentos idênticos, porém, o primeiro grupo realizou treinamentos supervisionados por um personal trainer e o segundo grupo realizou o treinamento sem esta supervisão. Continue reading

Jun 30

Força: Mulher x Homem

A diversidade entre os seres humanos sempre foi alvo de estudos / discussões e os temas variam desde humor negro até questões biológicas e sócio-culturais. Uma das maiores controvérsias acontece quando comparamos homem e mulher, tanto que o conceito de gênero surgiu em função (entre outros motivos de ordem política) da subordinação e da desigualdade existente nas relações entre os sexos.

Durante muito tempo as mulheres foram consideradas seres inferiores física e intelectualmente, sendo submetidas a uma condição de subserviência. Para elas eram reservados os papéis de esposas e mães, não possuíam o direito de estudar ou trabalhar, não podiam votar ou debater temas como violência e sexualidade. Continue reading

Jun 23

Redução progressiva do treinamento de força na fase de polimento

Atualmente, sabe-se da importante influência do treinamento de força fora da água na performance dos nadadores, principalmente os velocistas. Para melhorar a potência de um atleta, deve-se melhorar a força máxima dinâmica e a força de potência desse desportista com o treinamento de força (ZATSIORSKY, 1999).

Estudos longitudinais realizados têm mostrado que na continuação de uma sessão de treinamento de força de alta intensidade, se produz uma melhora na capacidade de mobilizar rapidamente atividades de inervação mais fortes (DEVRIES, 1979; SCHMIDTBLEICHER, 1984). Este acontecimento pode levar a um recrutamento mais rápido de unidades motoras nos atletas, quando comparados a pessoas não treinadas em força. Continue reading

Jun 21

Forma de execução dos exercícios com peso livre

Uma das principais variáveis do treinamento de força é a forma de execução dos exercícios, considerada um dos fatores que pode determinar o resultado final de um ciclo de treinamento, tanto com objetivos estéticos quanto terapêuticos. Talvez, por isso, seja motivo de tantas controvérsias. No entanto, a maioria das discussões não possui embasamento teórico-prático, muito menos científico.

Normalmente, os temas sobre esse assunto abordam as vantagens em reduzir a amplitude do movimento, o que possibilita a utilização de uma maior carga, justificando que isso poderia contribuir para uma maior hipertrofia muscular. Além disso, há o mito de que grandes amplitudes de movimento aumentariam os riscos de lesões. No entanto, ao contrário disso, já está documentado que existe uma relação direta entre amplitude do movimento e estresse fisiológico (GENTIL, 2011; NOSAKA e SAKAMOTO, 2001) e que a utilização de amplitudes completas, como as realizadas pelos levantadores de peso, dificilmente causariam lesões (RASKE e NORLIN, 2011; GRANHED et al., 1988). Continue reading