Dec 28

GH – o que é e como atua

Sem duvidas este peptídeo é um dos assuntos preferidos da mídia, que esporádica e invariavelmente exalta fórmulas mágicas supostamente capazes (suposição deles, claro) de resolver os problemas da humanidade, afinal de contas a busca pela perfeição sempre foi e sempre será uma constante entre os seres humanos, por mais discutíveis e voláteis que sejam os conceitos de perfeição.
A bola da vez é o hormônio do crescimento humano (a partir de agora GH), sendo a ele atribuídos:
  • Redução do percentual de gordura, com redução da celulite,
  • Aumento da massa muscular,
  • Fortalecimento dos ossos e articulações,
  • Pele mais saudável,
  • Melhora da performance sexual e atlética,
  • Maior capacidade de cura de lesões,
  • Diminuição da pressão arterial,
  • Aumento do HDL,
  • Combate à osteoporose,
  • Enfim uma vida mais feliz e produtiva! Continue reading
Feb 06

Terapias hormonais

óleoslocalizadosUm problema vem nos assombrando há tempos: há médicos prescrevendo hormônios, especialmente testosterona, em dosagens altas com finalidades estéticas. E isso se tornou um mercado altamente lucrativo, nos EUA, por exemplo, as terapias a base de testosterona cresceram mais de 5 vezes entre 2005 e 2011. Sendo que em 2011 esse já era um mercado de 1,6 bilhões de dólares!!

O que está acontecendo é que alguns oportunistas se renderam ao que o Mundo já sabe há décadas: o uso de determinados hormônios ajuda a melhorar o desempenho físico e a composição corporal! Para mascarar o fato de estarem simplesmente dando bomba aos seus pacientes, esses médicos aplicam uma nova roupagem às suas práticas, e com isso conseguem vender um produto mais caro ao mesmo tempo em que parecem menos imorais. Três roupagens bem conhecidas são os: implantes subcutâneos (chips), modulação hormonal e a reposição hormonal. Continue reading

Jun 25

GH – mitos e verdades

Todos sabem dos supostos atributos do Hormônio do Crescimento (GH). Basta abrir qualquer revistinha e ler a lista. Mas, afinal de contas, o que realmente é comprovado sobre o GH? Será que os achados científicos apóiam a bajulação em torno desse hormônio? E (a pergunta de sempre) será que vale a pena pagar o preço?

Antes de iniciarmos o estudo, recomendo cuidado na interpretação das pesquisas, pois sabemos que o hormônio do crescimento pode levar a mudanças em diversos tecidos, incluindo muscular, articular e ósseo. Quando se verifica um aumento na massa magra, significa que houve aumento em algum dos componentes do seu corpo que não sejam gordura, portanto aumento de massa magra não significa necessariamente aumento de massa muscular. Continue reading
Jun 23

Concentração de hormônio para mensurar estresse

Pesquisas usam concentração de hormônio para mensurar estresse

Pesquisa desenvolvida no Instituto de Biologia (IB) apontou que pessoas das classes D e E possuem maiores concentrações de cortisol – um dos principais hormônios relacionados ao estresse – em comparação a níveis encontrados em executivos de uma multinacional na região de Campinas.

As avaliações de executivos do sexo masculino e feminino foram realizadas pelos pós-graduandos Aglécio Luis de Souza, Geruza Perlato Bella e Márcia Carvalho Garcia. O grupo avaliou 80 voluntários. Trata-se do primeiro estudo do gênero feito em um país em desenvolvimento. As pesquisas foram realizadas no Laboratório de Estudo do Estresse do IB e orientadas pelas professoras Regina Célia Spadari e Dora Maria Grassi-Kassisse. Continue reading

Jun 21

Alterações fisiológicas durante a gestação

Diversas alterações ocorrem durante a gravidez, portanto um bom entendimento delas acaba favorecendo o profissional de educação física a orientar de forma eficiente e segura a mulher que se propõe a praticar exercício físico durante a gestação.

Alterações Hormonais

Mudanças significativas no perfil endócrino ocorrem durante a gestação, destacando-se quatro hormônios que desempenham um papel fundamental para a mãe e para o feto. Dois desses são os hormônios sexuais femininos estrogênio e progesterona, os quais são secretados pelo ovário durante o ciclo menstrual normal, passando a ser secretados em grandes quantidades pela placenta durante a gestação. Outros dois importantíssimos são: a gonodotrofina coriônica e a somatomamotropina coriônica humana. Continue reading

Sep 27

Estimuladores da liberação de hormônio do crescimento – secretagogues (arginina e ornitina)

Por que usar “estimuladores de GH”?

A utilização de suplementos que aumentem a secreção natural de Hormônio do Crescimento foi iniciada há alguns anos e vem ganhando um número crescente de adeptos. No entanto, a única explicação para se utilizar estas substâncias é a desinformação.

Já está cientificamente comprovado que não há relação de causa e efeito entre os níveis de GH e os ganhos de força e massa muscular (veja mais no artigo GH – mitos e verdades), além disso, o hormônio do crescimento é extremamente pulsátil e situações simples, como ficar em apnéia, já aumentam consideravelmente seus níveis. Ou seja, a promessa de estimular a liberação de GH, por si só não tem fundamento e não consiste em algo raro ou fisiologicamente significante. Resumindo, há dois motivos básicos para não gastar dinheiro com estimuladores de GH:
1 – os níveis de GH não são fisiologicamente relacionados aos ganhos de força e massa muscular
2 – há maneiras mais baratas e fáceis de se elevar os níveis de GH Continue reading

Feb 12

Alterações imunes e hormonais do estresse estão associadas ao gênero

Experimentos do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da USP demonstraram que homens, ao enfrentarem uma situação de estresse agudo, sofrem mais alterações hormonais relacionadas ao estresse (ACTH e cortisol) e na imunidade do que as mulheres. O estudo investigou as alterações na imunidade ocasionadas pela indução de estresse agudo em pessoas com ou sem fobia social.

Para sua pesquisa de doutorado, a psicóloga Alessandra Fernandes Faustino aplicou um método de indução de estresse agudo em dois grupos: um experimental, composto por 13 pessoas (7 mulheres e 6 homens) com diagnóstico de fobia social, e um de controle, no qual as 19 pessoas (7 mulheres e 12 homens) não tinham nenhuma patologia psiquiátrica. Os membros de ambos os grupos tinham de estar saudáveis do ponto de vista físico e psicológico e não podiam estar passando por situações difíceis no trabalho e na família. No grupo com fobia social não foram incluídas pessoas com outros transtornos como, por exemplo, a depressão. Continue reading