Jun 20

Musculação deixa idoso mais longe de diabetes, conclui estudo

Exercícios com pesos aplicados em homens idosos mostraram-se um importante fator para a redução dos riscos de desenvolvimento da resistência à insulina (RI), estágio prévio ao aparecimento do diabetes mellitus do tipo 2. “Com o envelhecimento da população, evidencia-se a necessidade do estabelecimento de condutas que minimizem as perdas fisiológicas e as complicações relacionadas às limitações que surgem deste processo”, destaca o educador físico Thiago Gaudensi Costa.

No estudo apresentado na Faculdade de Educação Física (FEF), orientado pela professora Mara Patrícia Traina Chacon Mikahil, Costa submeteu 10 homens acima de 60 anos, sedentários e saudáveis, ao treinamento com pesos durante 16 semanas e comparou o resultado com um grupo controle composto por oito idosos. No período, foram avaliados os efeitos dos exercícios sobre a resistência à insulina, a composição corporal e a força muscular. O educador físico destaca que o objetivo do trabalho foi analisar o exercício de musculação como método de prevenção ao aumento de indicadores de riscos à saúde. Continue reading

Jun 20

Dor crônica afeta quase 30% de idosos e prejudica mobilidade

recreacaoidososAproximadamente 30% das pessoas com mais de 60 anos sente pelo menos uma dor contínua há mais de seis meses. Além disso, segundo a enfermeira Mara Solange Gomes Dellaroza, os locais de queixa mais frequentes são as costas e os membros inferiores. Sob orientação da professora Cibele Andruccioli de Mattos Pimenta, Mara realizou uma pesquisa na Escola de Enfermagem (EE) da USP onde avaliou e caracterizou os idosos que sofrem de dor crônica na cidade de São Paulo.

A enfermeira analisou os resultados do estudo Saúde, Bem Estar e Envelhecimento (SABE) relativos ao município de São Paulo, coletado no ano de 2006. O SABE é um estudo epidemiológico de base populacional, conduzido pela Faculdade de Saúde Pública (FSP), também da USP. Continue reading

Aug 25

Produto melhora estado nutricional de idosos

Uma formulação especial para idosos apresentou bons resultados quando aplicada em 14 voluntários, entre 68 e 95 anos, com quadro de desnutrição ou risco de desnutrição. Depois dos testes, parâmetros bioquímicos avaliados, como proteínas totais, colesterol, vitamina B12, ácido fólico e magnésio, tiveram aumento significativo e considerável para melhora do estado nutricional dos idosos.

A nutricionista Valéria Maria Caselato, responsável pela pesquisa, também observou um ganho de peso médio de quase dois quilos, sendo que 30% dos idosos estudados conseguiram aumentar o Índice de Massa Corporal (IMC), de abaixo do nível 22 – correspondente à classificação de magreza – para valores dentro da normalidade. Continue reading

Feb 12

Pesquisa da FMUSP constata ganhos à saúde, em idosas, derivados da prática de exercícios

Exercícios físicos regulares e a pratica de esportes de alta intensidade são fatores que melhoram a qualidade de vida e diminuem os sintomas de depressão entre mulheres com mais de 60 anos. É isso que indica um estudo feito por pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP).

A iniciativa da pesquisa surgiu da “discussão sobre a prática de exercícios de alta performace em mulheres idosas e suas possíveis repercussões sobre a qualidade de vida em seus múltiplos aspectos”, garante um dos responsáveis pelo estudo, Luiz Eugênio Garcez-Leme. Segundo ele, essa faixa etária foi utilizada pelo fato de as mulheres com mais de 60 anos serem parte da atenção específica da geriatria, e também por ser um grupo que pratica poucos exercícios, ainda mais como o que foi avaliado. Continue reading

Jan 28

Treinos de estímulo podem combater transtornos da velhice

melhoranutricionalidosoUm estudo da Faculdade de Medicina (FM) da USP mostrou que, independente da condição clínica, os idosos podem aumentar seu desempenho em testes de atenção, memória e velocidade de processamento após constantes treinos de memória e cognição.

A pesquisa da gerontóloga Paula Schimidt Brum buscou entender como os idosos saudáveis, e outros com Comprometimento Cognitivo Leve (CCL), respondiam a um treino que enfatizava duas estratégias de memorização: categorização para lista de supermercado e grifos para recordar textos.

“O objetivo do treino de memória era ensinar estratégias para que os participantes pudessem utilizá-la no cotidiano. A estratégia ajuda o participante a memorizar determinada informação facilitando sua recordação mesmo a longo prazo”, afirma a pesquisadora. O CCL é uma condição clínica em que a pessoa mostra prejuízo em uma ou mais das seguintes habilidades cognitivas: memória, atenção, raciocínio e velocidade de processamento. Continue reading

Apr 30

Pesquisa sugere terapias na água para prevenir quedas de idosos

Quedas dentro de casa ou em uma simples caminhada pela rua são, para um idoso, motivos para real preocupação. Afinal, o corpo está mais frágil e qualquer trauma pode representar implicações significativas para a pessoa: dificuldades para caminhar, propensão à adquirir doenças mais graves, depender excessivamente de médicos e familiares e outros fatores.

Segundo Juliana Monteiro, fisioterapeuta e pesquisadora da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), a maioria dos idosos tem uma perda de equilíbrio, força muscular e mobilidade que pode levá-los a cair – e as quedas fazem com que essas pessoas adquiram outras doenças e suas complicações. Tendo isto em vista, Juliana desenvolveu um trabalho de prevenção de quedas para idosos através da hidroterapia. Continue reading