Jun 20

Irisina – mais um possível via para controle de peso pelo exercício

A recente descoberta de uma miocina (proteína secretada pelo músculo) vem causando euforia mundo afora, principalmente por sua promissora ação na perda de peso, regulação do metabolismo glicêmico e gasto energético, todos fatores que contribuem para o controle do diabetes e o tratamento da obesidade (Boström et al., 2012). Com isso, rapidamente revistas de circulação nacional e órgãos de impressa em geral publicaram reportagens sobre os possíveis benefícios desse achado. Mas antes de falar sobre esta miocina cabe entender um pouco sobre os mecanismos que possam proporcionar tais resultados.

A extração de energia dos nutrientes para a ressíntese de ATPs depende de sistemas extremamente refinados e estruturas especializadas para realizar tal função. É sabido que a glicólise e o ciclo de Krebs não produzem muitos ATPs. No entanto, eles produzem vários NADH e FADH2, proteínas carreadoras de elétrons de alta energia que foram extraídos da matéria orgânica. No interior das mitocôndrias, mais especificamente na crista mitocondrial, estas proteínas transportadoras de elétrons, entregam elétrons energizados a um complexo de proteínas especializadas em seu transporte. Durante o transporte os elétrons, prótons localizados no interior da mitocôndria são bombeados para o espaço intermembranas, criando um potencial elétrico positivo em relação ao interior da mitocôndria. Estes prótons bombeados retornam por um complexo enzimático chamado ATP sintetase, havendo ressíntede de ATP (união de ADP + Pi), através de um movimento mecânico (giro) (Pereira et al., 2011). Continue reading