Jun 27

Emagrecimento e Musculação

O dogma de aeróbios e perda de gordura não passa de um equívoco. A utilidade destas atividades é extremamente limitada e dever ser complementada, ou mesmo substituída, por exercícios mais específicos e eficientes.

Considero a musculação uma das melhores opções em todos os aspectos, desde prevenção de patologias, ganho de massa muscular, tratamento de enfermidades, correção de desvios posturais e, claro, redução da gordura corporal. Isto mesmo a musculação pode ser extremamente eficiente para produzir alterações positivas no seu percentual de gordura. Continue reading

Nov 28

Efeitos da obesidade na capacidade funcional

obesityovarianA obesidade constitui um fator agravante na redução da qualidade de vida. Esta redução muitas vezes está associada à menor capacidade funcional das pessoas obesas.

Um estudo recente avaliou a relação entre o IMC e a capacidade funcional em mulheres.

Neste estudo participaram 36 mulheres com um IMC ≥ 30 kg/m2 e 10 mulheres com peso normal (IMC entre 18 kg/m2 e 25 kg/m2). O grupo composto por mulheres obesas foi subdividido da seguinte forma: 12 mulheres com um IMC ≥ 30 e <35 (obesidade), 14 mulheres com IMC ≥ 35 e <40 (obesidade grave) e 10 mulheres com um IMC ≥ 40kg/m² (obesidade mórbida).

Todas elas foram submetidas a exames clínicos e a testes específicos que avaliaram a capacidade funcional: teste de marcha, teste de resistência aeróbica (teste de caminhada de 6 minutos), teste de potência de membros inferiores (sentar e levantar) e teste de equilíbrio. Continue reading

Apr 09

Podemos confiar nas estimativas de gastos calóricos apresentadas pelas esteiras ergométricas?

esteiraCaminhar e correr numa esteira ergométrica são exercícios muito utilizados em programas de controle do peso corporal e de redução dos fatores de risco de doenças coronárias.

Em um programa de emagrecimento, pode-se alterar o balanço energético através da redução do consumo calórico, do aumento do gasto calórico ou por ambos.

O consumo calórico pode ser avaliado por meio do hábito alimentar, usando  diários alimentares ou listas de checagem de alimentos. A interpretação destas informações permite uma prescrição correta da ingestão alimentar.

O gasto energético diário pode ser determinado pela taxa metabólica basal (60% a 70%), pelo efeito térmico dos alimentos (10%) e pelo gasto de energia  com atividade física. A atividade física corresponde cerca de 20 a 30% do gasto energético total em um indivíduo adulto e representa um componente capaz de ser facilmente manipulado. Ou seja, podemos aumentar de forma significativa o nosso gasto calórico diário com o aumento da atividade física.

A prescrição de exercícios numa esteira ergométrica, além de sua intensidade e duração, em alguns casos também requer a quantificação do gasto calórico por ela provocado. Continue reading

Apr 04

Hábitos saudáveis vão além do peso considerado ideal

Uma realidade na qual a oferta de alimentos saudáveis é menor do que os processados e altamente calóricos, favorece quadros de obesidade e sedentarismo.

Em 2015, quase 60% da população brasileira estava acima do peso considerado ideal, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Neste contexto, porém, os efeitos associados aos hábitos não saudáveis não se limitam a quem está acima do peso. Continue reading

Feb 27

Obesidade e gravidez

A gravidez é um momento especial, não apenas para uma, mas para duas vidas. Nessa fase, o estado nutricional da mãe tem relação direta com a sua saúde e também com a do seu bebê, tanto na vida intra-uterina como no futuro. Carências de nutrientes, especialmente ferro, ácido fólico, cálcio e vitaminas são comuns nessa fase. Quando uma grávida aumenta muito de peso, é a saúde da dupla mãe-filho que entra em perigo.

Cada caso deve ser individualizado, porém é clássico o conceito de que uma futura mamãe não deve engordar muito mais que doze quilos no seu período gestacional. Na gestante, o excesso de peso aumenta os riscos de diabetes, hipertensão, pré-eclâmpsia além de inúmeras outras complicações obstétricas. A obesidade, bem como gravidez na adolescência e o fumo são fatores de risco que podem ser prevenidos com planejamento familiar e um acompanhamento pré-natal bem feito. Costumamos dizer que a prevenção da obesidade infantil começa ainda na vida intra-uterina. Continue reading

Feb 01

Permanecer muito tempo sentado prejudica a longevidade

Até 4% das mortes no mundo poderiam ser evitadas apenas reduzindo o tempo que as pessoas permanecem sentadas ao longo do dia. Isso representa 433 mil pessoas por ano. Os dados são de um estudo realizado por pesquisadores da USP e da Universidade Federal de Pelotas. “No limite, reduzindo o tempo sentado em até 3 horas por dia, seriam evitadas 4% de mortes. Continue reading

Jan 30

Aumento de sonolência está relacionada ao peso da pessoa

Pesquisa apresentada na Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP relacionou o consumo de carboidratos por trabalhadores noturnos com seu grau de sonolência, sugerindo que pessoas com sobrepeso e obesidade estão mais propensas a sentirem mais sono quanto maior for a ingestão desse nutriente. A autora do estudo, a nutricionista Patricia Xavier Soares de Andrade Nehme, realizou a intervenção alimentar com os funcionários da segurança de uma empresa da Baixada Santista, controlando alguns fatores da alimentação dos funcionários. Continue reading
Dec 12

Armadilha Aeróbica

exerciseereducaoapetiteParadoxalmente, a obesidade tem aumentado ao mesmo tempo em que aumenta a adesão aos programas de atividade física. E o fato das pessoas não emagrecerem mesmo praticando exercícios, traz alguns questionamentos a respeito das direções dos programas atuais de emagrecimento e suas bases.

Apesar da má adesão por longos períodos ser um problema, ela não parece ser o único fator de insucesso dos planejamentos que objetivam a redução de peso em obesos e sobrepesados (Finley et. al. 2006). Algumas outras armadilhas parecem estar escondidas nesses programas, e é necessária uma visão um pouco mais critica e menos submissa para observa-las. Continue reading

Sep 25

Musculatura esquelética pode ser prejudicada por excesso de peso

jornadanoturnaeobesidadeExperimentos realizados na Escola de Educação Física e Esportes (EEFE) da USP mostram que a obesidade, além de todas as suas conhecidas consequências, pode também causar prejuízos à musculatura esquelética. O estudo de iniciação científica foi desenvolvido por João Lucas Penteado Gomes, que integra o Laboratório de Bioquímica e Biologia Molecular do Exercício Físico da EEFE.

De acordo com o pesquisador, que é formado em Educação Física pela EEFE, pelo menos 13% da população mundial apresenta algum grau de obesidade. Ele ainda revela que esse número tende a crescer: “Existem projeções apontando que metade da população será obesa até 2030″, avisa, ressaltando que “a obesidade leva a diversos problemas de saúde pública, como doenças crônicas, diabetes, hipertensão e câncer, mas também é um problema sistêmico e afeta diversos órgão e tecidos”. Continue reading

Aug 09

Exercício intenso versus exercício moderado, perfil lipídico e níveis de adiponectina

13898784-illustration-of-an-overweight-boy-exercisingA adiponectina é um hormônio proteico que modula vários processos metabólicos que inclui a regulação glicêmica e o catabolismo lipídico. É secretada pelo tecido adiposo e seus níveis plasmáticos estão inversamente relacionados com o percentual de gordura corporal. Baixas concentrações de adiponectina estão diretamente associadas ao desenvolvimento de doenças relacionadas à obesidade.

Alguns estudos relacionam sua concentração de forma inversa com patologias como diabetes, hipertensão e problemas cardiovasculares. Um decréscimo nos níveis plasmáticos de adiponectina tem sido relacionado diretamente com a presença da resistência à insulina. Além disso, a adiponectina apresenta um efeito protetor para o organismo apresentando um efeito anti-inflamatório.

Outros estudos porém relatam que não existem evidências consistentes de que as intervenções destinadas a aumentar os níveis de adiponectina vai melhorar a sensibilidade à insulina ou risco de diabetes tipo 2.

Continue reading