Jun 27

Estrutura escolar provoca adoecimento de professores

adoecimento professoresAs escolas de educação básica, sejam públicas ou privadas, enfrentam desde sempre uma série de problemas para garantir sua efetividade, e mais do que isso, sua própria existência. Uma das dificuldades mais recentes, e de difícil solução, tem sido o problema do adoecimento e da deserção dos professores da escola pública brasileira. Para o historiador Danilo Alexandre Ferreira de Camargo, tal fenômeno acontece em função do cotidiano escolar ser insuportável para a maioria dos profissionais da educação. Continue reading

Jun 26

Jornais repetem discurso pejorativo sobre professores

Valores reproduzidos constantemente na imprensa sobre professores, principalmente da rede pública de ensino, denigrem a imagem desses profissionais. Ao criticar a educação do Brasil, os veículos de comunicação não levam a discussão para as razões do ensino ter se tornado tão precário. Ao invés disso, criticam a atuação dos responsáveis pelo ensino, apontando para sua substituição por profissionais melhores, e não pela melhor formação dos que já estão lá. Esse fenômeno foi percebido por pesquisa da Faculdade de Educação (FE) da USP em revisão de diversas notícias sobre o assunto.

A jornalista Katia Zanvettor Ferreira, autora do estudo Quando o professor é notícia? Imagens de professor e imagens do jornalismo, analisou notícias de diversos jornais impressos do estado de São Paulo entre 2007 e 2011 e percebeu que estes veículos tendem a dar fórmulas para resolver o problema da educação. Dessa forma, tratam a questão de maneira simplória e evitam reflexão e confronto de opiniões. “É a saída reacionária da própria imprensa que direciona o debate da sociedade”, explica. “Minimiza o jogo democrático”. Continue reading

Jun 20

A percepção dos professores de natação para bebês sobre a psicomotricidade relacional e funcional no meio líquido

A percepção dos professores de natação para bebês sobre a psicomotricidade relacional e funcional no meio líquido*
Luiz Juvêncio Pereira Fagundes1
Marines Ramos2

RESUMO
Este estudo teve como objetivo de analisar a percepção dos professores de natação para bebês sobre a Psicomotricidade relacional e funcional no meio líquido. O presente trabalho caracterizou-se como sendo do tipo descritivo. A população foi constituída por professores graduados em Educação Física que atuam em escolas particulares de natação na cidade de Porto Alegre – RS. A amostra se compôs de um total de 6 professores de 5 escolas particulares de natação em diferentes locais de Porto Alegre – RS, no qual dos 6 professores 4 são do sexo feminino e 2 são do sexo masculino, na faixa etária entre 20 e 45 anos. Os dados foram obtidos através de um questionário validado por dois profissionais da área, contendo 8 questões, fechadas  e abertas, versando sobre os objetivos específicos de estudo. A investigação revelou pouco conhecimento dos professores de natação para bebês, que participaram dessa amostra  sobre a psicomotricidade relacional e funcional no meio líquido. Portanto, fica uma reflexão sobre os resultados encontrados neste estudo, que o tema desta pesquisa ainda precisa ser mais discutido e refletido, pois são poucas as pesquisas que contribuam para legitimação dessa área de estudo, assim com a necessidade destes professores de uma formação continuada.
Palavra-chave: Professor – Natação – Bebê – Psicomotricidade.

*Trabalho de conclusão de curso de pós-graduação em Psicomotricidade da Universidade Luterana do Brasil – ULBRA.
1 Pós-graduando de Psicomoticidade da Universidade Luterana do Brasil – ULBRA, Canoas, RS.
2 Professora Mestre e docente Universidade Luterana do Brasil – ULBRA.