Apr 04

Estudo relaciona atividade física no lazer com características do ambiente

A prática de atividade física no lazer e sua relação com o ambiente e a avaliação de uma intervenção comunitária de promoção da saúde, são analisadas em pesquisa

Uma pesquisa realizada com 4.048 moradores de dois distritos sanitários de Belo Horizonte apontou que características físicas e sociais do ambiente influenciam na prática de atividade física de lazer.

A pesquisa também avaliou o efeito de uma intervenção comunitária, o Programa Academias da Cidade, sobre os níveis de atividade física da população geral residente no entorno de onde a iniciativa estava inserida.

O trabalho é da pesquisadora do Observatório de Saúde Urbana de Belo Horizonte da Faculdade de Medicina da UFMG (Osubh), Amanda Cristina de Souza Andrade, defendido como tese no programa de Pós Graduação em Saúde Pública da Faculdade de Medicina da UFMG. Continue reading

Apr 04

Hábitos saudáveis vão além do peso considerado ideal

Uma realidade na qual a oferta de alimentos saudáveis é menor do que os processados e altamente calóricos, favorece quadros de obesidade e sedentarismo.

Em 2015, quase 60% da população brasileira estava acima do peso considerado ideal, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Neste contexto, porém, os efeitos associados aos hábitos não saudáveis não se limitam a quem está acima do peso. Continue reading

Feb 01

Permanecer muito tempo sentado prejudica a longevidade

Até 4% das mortes no mundo poderiam ser evitadas apenas reduzindo o tempo que as pessoas permanecem sentadas ao longo do dia. Isso representa 433 mil pessoas por ano. Os dados são de um estudo realizado por pesquisadores da USP e da Universidade Federal de Pelotas. “No limite, reduzindo o tempo sentado em até 3 horas por dia, seriam evitadas 4% de mortes. Continue reading

Dec 22

Amigos e vizinhos estimulam a prática de atividade física

Pesquisa da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP aponta que ter companhia de amigos e vizinhos, principalmente na caminhada, pode servir como estímulo na hora de praticar exercícios físicos, pois isso torna a atividade menos estressante.

Mas, mesmo com companhia, a falta de locais apropriados, ou a distância somada à precariedade dos locais existentes podem desestimular àqueles que se propõem a aderir aos exercícios físicos. Essa situação pode ser um agravante para as pessoas com Diabetes mellitus, que têm no exercício físico um aliado para a melhoria da qualidade de vida, com efeitos significativos para a saúde mental e o controle glicêmico. Continue reading

Jun 03

Atividade física e tabagismo

cigarroapagueA Organização Mundial da Saúde aponta o tabagismo como a principal causa de morte evitável do mundo e o tabagismo passivo como a terceira causa, ficando atrás somente do alcoolismo (World Health Organization; 2008; INCA, 2009).

Os números que cercam o tabagismo e a indústria tabagista são impressionantes: 1,5 bilhões de indivíduos, maiores de 15 anos, são tabagistas, que consomem mais de 7 trilhões e 30 bilhões de cigarros anualmente, o que equivale a 200.000 quilos de nicotina diária (Rosemberg, 2002; Banco Mundial, 1999; Clinical Practice Guideline Treating Tobacco Use and Dependence 2008), que causam impactos ambientais e socioeconômicos monstruosos (Ministério da Saúde 2004). Continue reading

May 30

Companhia é incentivo comprovado para fazer exercícios

companhiaConvidar um amigo ou parente para fazer exercícios físicos em conjunto é uma motivação a mais para quem quer começar a fazer ginástica. O benefício foi comprovado por um estudo realizado no Observatório de Saúde Urbana de Belo Horizonte (OSUBH) da Faculdade de Medicina da UFMG, coordenado pelos professores Waleska Caiaffa e Fernando Proietti, do programa de pós-graduação em Saúde Pública. A pesquisa revela que ter uma companhia para a prática de atividades físicas pode dobrar as chances de manter o hábito e melhorar a qualidade de vida.

A pesquisa classificou adultos com idades entre 18 e 69 anos das regiões Oeste e Barreiro, em Belo Horizonte, em três grupos: inativos, insuficientemente ativos e ativos. Continue reading

May 29

Cigarro: apague o mal da sua saúde

Mesmo sabendo de todos os riscos, muitos fumantes ainda insistem em dizer que o prazer compensa tudo – até mesmo o risco de prejudicar a própria saúde. Será mesmo? Além de aumentar as chances de desenvolver doenças pulmonares, câncer, infarto, derrames e envelhecimento precoce, a pessoa tem menos disposição, gasta um dinheirão por mês para alimentar o vício e ainda prejudica a saúde de seu vizinho.

Durante décadas o cigarro foi considerado sinônimo de charme, beleza e sofisticação. A indústria cinematográfica imortalizou e glamourizou o ato de fumar. Hoje, estima-se que há mais de 250 milhões de mulheres fumantes no mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). O que já foi chique no passado é causa de preocupação no presente. Continue reading
Dec 11

É possível envelhecer com saúde?

Ainda hoje o conceito de saúde pode ser confundido e expressado apenas como a ausência de doenças, porém a Organização Mundial de Saúde (OMS) há muito tempo já definiu saúde como o estado em que o indivíduo se encontra em perfeito bem-estar físico, mental e social. Ou seja, um estado de equilíbrio entre todos os aspectos do ser humano, e este equilíbrio dificilmente será atingido sem que nos esforçamos para isto. Muitos são os cuidados a serem tomados e quanto mais cedo dermos atenção a eles, mais eficiente serão nossas atitudes.

O processo de envelhecimento varia bastante entre as pessoas e é influenciado tanto por fatores genéticos quanto pelo estilo de vida. Especialistas em envelhecimento acreditam que poderíamos viver em média até 120 anos se o estilo de vida e o perfil genético fossem ideais. Um estudo feito nos Estados Unidos pela universidade de UCLA com mais de seis mil pessoas, demonstrou diferenças de mortalidade drásticas entre aqueles que seguiam sete hábitos saudáveis simples (nunca fumar, ingestão moderada de álcool, tomar café da manhã, não petiscar, dormir em média oito horas por noite, exercitar-se regularmente e manter o peso ideal) e aqueles que não os seguiam. Aqueles que seguiram os sete hábitos saudáveis apresentavam taxa de mortalidade muito menor, e foi estimado que viveriam em média nove anos a mais do que aqueles que não praticavam.  Continue reading

Aug 30

Os benefícios do exercício físico

Na sociedade atual, graças às descobertas científicas que tiveram lugar nos últimos 100 anos, as atividades do dia–a-dia tornaram-se cada vez mais fáceis. Como exemplos, podemos citar a deslocação até ao local de trabalho ou a subida até ao 4º andar de um prédio, que passaram a ser feitas através de recursos mecânicos (automóvel e elevador, respectivamente).

Em termos econômicos, podemos chamar a isto eficiência, pois o mesmo objetivo pode ser alcançado com menor dispêndio de recursos (como o tempo). Aparentemente, a vida moderna parece muito melhor que a dos avós dos nossos avós. Tudo é mais fácil. Não temos que nos preocupar com tarefas pouco importantes e podemos dedicar-nos ao exercício da atividade intelectual.

Continue reading

Aug 09

Como controlar o colesterol?

A data 8 de agosto marca o Dia Nacional do Controle do Colesterol

colesterolAveia, linhaça e hortaliças são alguns alimentos comumente associados à diminuição do colesterol. Embora não atuem diretamente neste processo, farelos integrais, folhas verdes e fibras das frutas podem, sim, ajudar a reduzir o colesterol ruim (LDL), pois aumentam o bolo fecal e impedem a absorção de sais biliares, ricos em LDL, no intestino grosso. Esses alimentos, então, acabam carregando esses sais para a eliminação junto das fezes, explica o professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG, Josemar de Almeida Moura.

Outro produto muito consumido com esse intuito, as cápsulas de óleo de peixe, podem não ter o efeito desejado. “O óleo de peixe não é indicado para tratar o colesterol individualmente, a principio não seria um tratamento para esse problema, por isso não deve ser tomado por conta própria”, afirma Josemar de Almeida.

O colesterol é uma substância produzida pelo nosso próprio corpo, não apenas adquirida em nossa dieta. Ao contrário do que muitos pensam, ele não causa apenas prejuízos para nosso organismo, mas faz parte da parede das nossas células, de tecidos, órgãos e hormônios, atuando na nossa digestão. Continue reading