Oct 22

BCAA

BCAA é a sigla em inglês para aminoácidos de cadeia ramificada (branched chain amino acids), constituídos por: Leucina, Isoleucina e Valina. A suplementação destes aminoácidos é muito comum entre atletas de endurance e praticantes de musculação, sendo impulsionada pela descoberta científica de que eles são prioritariamente oxidados durante atividades físicas. Atualmente existem algumas suposições quanto aos efeitos da suplementação de BCAA:

– os BCAAs competem com o triptofano na passagem pela barreira sangue-cérebro podendo, desta forma, atenuar a fadiga central.

– a suplementação de BCAA evitaria que se usasse a reserva muscular de aminoácidos, diminuindo o catabolismo e ajudando, assim, na hipertrofia. Continue reading

Jun 24

Uso de creatina em idosos

Somente há poucos anos, nossa sociedade se preocupou com a faixa etária que mais cresce percentualmente: a terceira idade. O processo de envelhecimento e a gradativa diminuição da aptidão física possuem vários aspectos, tanto endógenos (características genéticas) como exógenos (estilo de vida) afetando negativamente a qualidade de vida do idoso (FIATARONE, 1996; DI PIETRO,1996).

A perda da massa muscular (sarcopenia) e a redução da densidade mineral óssea (osteoporose) estão entre os principais problemas apresentados por esta população. Existem diversos estudos comprovando que treinamentos de força podem amenizar estas perdas e até inverte-las, amenizando a fragilidade física (FIATARONE, 1996; FIATARONE, 1994; FRONTERA, 1988, WOOD, 2001; FATOUROS, 2002; BROCHU, 2002 e VUORI, 2001).

Além das atividades físicas há também um possível papel da suplementação alimentar. A suplementação da creatina se mostrou eficiente para potencializar o aumento de força e massa muscular em adultos de ambos os sexos, em diversas ocasiões (VANDENBERGHE, 1997; RAWSON, 1999; RAWSON E CLARKSON, 2000, CHRUSCH, 2001 e GOTSHALK, 2002). Chegamos então ao questionamento: será que a creatina teria um papel importante como suplementação para potencializar os ganhos obtidos no treinamento de força em idosos?

RAWSON et al.(1999) utilizaram em seu estudo 20 homens com idade entre 60 e 82 anos. Continue reading

Jun 23

Como somos enganados pela indústria de suplementos

[Como irão perceber, este artigo tem um tom diferente. Eu optei por conversar com o leitor sobre algo que me incomoda há muito tempo: a propaganda enganosa que impulsiona a venda de diversos suplementos e complementos alimentares. Espero que as informações apresentadas aqui possam ajudar a detectar algumas estratégias usadas para enganar muitas pessoas que buscam obter melhoras em sua saúde, performance e/ou estética.

Quem sabe assim, menos pessoas serão vítimas de vendedores desinformados e/ou inescrupulosos e passarão a perceber quais os verdadeiros caminhos que devem ser percorridos na busca de uma boa forma física e de um organismo saudável] A maioria de nós simplesmente não tem paciência e dedicação para alcançar os objetivos almejados por meio de um treinamento e alimentação adequados. Continue reading

Jun 22

Óxido nítrico

O óxido nítrico (NO), ou monóxido de nitrogênio, é uma substância reconhecidamente importante para sinalização molecular. Na década de 1980, descobriu-se que o NO tem um papel crucial em diversas funções fisiológicas, inclusive no sistema cardiovascular, nervoso e imune, tais descobertas redundaram num interesse crescente neste gás, levando-o a ser considerado a molécula do ano em 1992 (Culotta & Koshland, 1992).
Continue reading

Jun 22

HMB – Beta-hidroxi-beta-metilbutirato

HMBOs efeitos anticatabólicos da Leucina e seu metabólito KIC tem sido propostos há mais de 40 anos. Atribui-se a eles diminuição da perda de nitrogênio e inibição do processo de degradação da massa muscular, porém isto nunca verificado com clareza, a menos em alguns casos patológicos de proteólise elevada. Alguns pesquisadores basearam-se em estudos feitos em animais para criar a hipótese que o ß-hidroxi-ß-metilbutirato (HMB) seja o responsável pelos efeitos anti-catabólicos por vezes encontrados com a Leucina e seus derivados. O HMB é um metabólito da Leucina naturalmente produzido pelo organismo, em quantidades médias de 200 a 400 mg por dia, podendo também ser obtido a partir da alimentação. No corpo humano cerca de 5% de toda Leucina é convertida em HMB.

Até hoje não se sabe ao certo como o HMB poderia funcionar, no entanto existem duas hipóteses básicas: 1) inibição direta do processo proteolítico; 2) o HMB pode ser similar e covalentemente ligado a estruturas da membrana destruídas sob estresse, o que diminuiria os danos celulares.

Existem muitos estudos acerca dos efeitos dos metabólitos da Leucina, porém uma boa parte deles foi feito em animais, usando-os com sucesso para aumentar o peso e melhorar sua resistência a doenças (KREIDER et, 1994; VAN KOEVERING et al, 1994; NISSEN et al, 1994). Continue reading

Jun 21

Como somos enganados pela indústria de suplementos: uma conversa com Paulo Gentil (parte 2)

[Continuação da primeira parte]

Testemunhos

Esta é a estratégia mais antiga e mais popular de todas. Foi assim que o livro Body for Life se tornou um fenômeno, juntamente com a empresa EAS e seus produtos, como o Myoplex. Os testemunhos, baseados na velha estória do “isso mudou minha vida” e nas fotos antes e depois estão no centro das estratégias de diversas empresas. No entanto, a maior parte dos resultados relatados nos depoimentos é devida essencialmente a dois fatores: efeito placebo e mudanças comportamentais. Muitas vezes ao ingerir um suplemento, uma pessoa se sente mais motivada e muda seu comportamento, se alimenta melhor, treina melhor e, consequentemente, acaba tendo melhores resultados, mesmo que o suplemento seja inócuo. Por outro lado, há o conhecido efeito psicológico, que produz resultados diferentes do efeito fisiológico esperado. Nesse sentido, há casos clássicos de pessoas que recebiam substâncias sem nenhum princípio ativo, mas acreditavam estar ingerindo determinadas drogas, e tiveram efeitos iguais aos que ocorreriam se estivessem efetivamente sob tratamento.
Continue reading

Jun 21

Suplementação com creatina melhora função muscular

creatinaeexerciseO Laboratório de Avaliação e Condicionamento em Reumatologia (Lacre), do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), desenvolve pesquisa inédita com suplemento alimentar à base de creatina (composto natural sintetizado pelo próprio organismo) e melhora a função muscular dos pacientes com fibromialgia.  De acordo com a médica reumatologista Fernanda Lima, responsável pelo Lacre, 80% dos pacientes que fizeram uso da creatina apresentaram aumento do conteúdo de fosfocreatina intramuscular.

O estudo, duplo cego, controlado por placebo, foi realizado em 16 semanas e envolveu 28 pacientes, com idade de 48 anos. Os participantes foram divididos em dois grupos: um grupo recebeu o suplemento alimentar e o outro grupo recebeu placebo. Ambos realizaram um programa de treinamento físico no próprio Lacre, durante o tratamento. Continue reading

Mar 29

CLA (Acido linoléico conjugado)

claCLA é um ácido graxo poliinsaturado natural, encontrado em produtos lácteos (grande parte na gordura do leite) e carne de ruminantes (bovinos, bubalinos, ovinos e caprinos), as quais representam as duas maiores fontes de CLA na alimentação dos seres humanos. Pode-se encontrá-lo, também, em carne de cordeiro, na vitela e em menor grau na carne de suíno, frango, peru e em algumas fontes vegetais (JIANG et al, 1996; STEINHART, 1996; IP et al, 1999).

Acido linoléico conjugado é um termo que descreve os isômeros geométricos do ácido linoléico. Ele é formado no rúmen, como primeiro intermediário da bio-hidrogenação do ácido linoléico, pela enzima ácido linoléico isomerase, proveniente da bactéria anaeróbica ruminal Butyrivibrio fibrisolvens. Portanto, uma explicação plausível em relação à quantidade de CLA ser maior nos ruminantes é que a hidrólise da gordura dentro do rúmen proporciona maior produção de ácido linoléico. Continue reading

Nov 28

Suplementação com aminoácidos pode diminuir o índice de infecção

Estudos realizados na área de atividade física apontam que exercícios intensos e de longa duração podem estar relacionados com o aumento do índice de infecções. Deste modo, pessoas que se exercitam de forma mais intensa, em especial os atletas, estariam sujeitas a contrair doenças, principalmente as do Trato Respiratório Superior (TRS), ou seja, boca, garganta ou nariz. Mas, esse quadro pode ser revertido com a suplementação de aminoácidos unidades que compõem as proteínas de cadeias ramificadas. A conclusão está na pesquisa Efeito da suplementação de aminoácidos de cadeia ramificada, os Branched-Chain Amino Acids (BCAA ), sobre a resposta imune de triatletas, realizada por Reinaldo Abunasser Bassit, do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP. Continue reading