Jun 25

O conceito de um atleta bem treinado

Definição da real eficácia do processo de treinamento

Quando estipulamos ou definimos que um jogador está bem treinado e apto a jogar, precisamos ter muito cuidado porque não podemos dizê-lo apenas baseando-nos em números de avaliações, pois existem outros fatores que interferem de forma significativa no rendimento.

Assim, vamos observar algumas questões que são fundamentais na preparação de atletas e equipes de futebol:1 – Futebol é um esporte tático e é importante ter isto bem definido, pois o atleta que vai jogar é aquele que cumpre função tática independente de resultados de testes físicos;
2 – Os testes físicos ajudam a comissão técnica a planejar a alimentação, conhecer melhor os atletas e observar evolução de performances “físicas” pelo treinamento, pela nutrição, mas não definem desempenho técnico ou tático. Ou seja, são apenas parte do processo e devem ser observados assim;
3 – A primeira característica do atleta bem treinado é a ausência de lesões, e, dessa forma, atletas que não lesionam têm melhor possibilidade de atingirem melhores níveis de treinamento;
4 – A segunda característica, mas não menos importante, é a composição corporal. Assim, atletas que jogam no peso certo se adaptam mais facilmente ao modelo de jogo pretendido e cumprem sua função tática;
5 – Enfim, igualmente importante é o desempenho mental. A concentração para o trabalho e a motivação para melhoras constantes definem a convocação e a escalação de qualquer jogador. É fundamental observar essas características constantemente para se convocar o jogador que realmente vai ajudar a equipe. Continue reading
Jun 23

Circuito de treinamento funcional – 8 estações

Circuito com 8 estações. Cada exercício é executado durante 45 segundo e no máximo 15 segundos de descanso entre cada estação.  Após a conclusão de todos os 8 exercícios, há descanso de 1 minuto antes de nova volta no circuito. No total são dadas 3 voltas no circuito totalizando 26 minutos de atividades.

Fonte: You Tube

Jun 22

Deficiência mental e exercício

A falta de incentivo à prática de atividades físicas por parte da família, escola e sociedade, faz com que os portadores de deficiência mental sejam cada vez mais sedentários. O que torna difícil prover-los de autonomia e melhores condições sobrevivência. Estudos apontam que a prevalência de obesidade é maior, e a força muscular é expressivamente menor, em indivíduos com deficiência mental, comparados à população em geral (BEANGE; MCELDUFF e BAKER, 1995).

Diversas pesquisas têm demonstrado que deficientes mentais podem obter os mesmos benefícios com a atividade física que pessoas sem deficiência, como: aumentos de força e melhoras na performance das atividades diárias, além de aprimorar as funções metabólicas (STOPKA et Al., 1994). Continue reading