Uso de óleos de soja e de oliva controla diabete

Óleos de soja e de oliva podem auxiliar no tratamento da diabete, porque possuem em sua composição ácidos graxos insaturados que induzem a produção e facilitam secreção de insulina no organismo. É o que revela uma pesquisa coordenada por Angelo Rafael Carpinelli, professor do Departamento de Fisiologia e Biofísica do Instituto de Ciências Biomédicas da USP.

Os resultados foram obtidos através da utilização dos óleos de soja e de oliva na alimentação de ratos, em substituição a outros tipos de gorduras de origem animal. Depois de seis semanas recebendo esta dieta, os ratos passaram a produzir maior quantidade de insulina e a aproveitá-la melhor. Isso aconteceu porque os ácidos graxos insaturados – linoleico no de soja e oleico no de oliva – estimularam as células B do pâncreas na secreção da insulina e o organismo na resposta ao hormônio. Numa pessoa diabética, a produção e a secreção da insulina é deficiente.

Muitas vezes o pâncreas, por alguma alteração, deixa de produzir a insulina e, quando a produz, não responde satisfatoriamenteà presença de glicose que deveria induzir a sua liberação para o organismo. No organismo humano, a secreção da insulina consiste no seu envio, depois de produzida pelo pâncreas, para a corrente sangüínea e daí para todos os órgãos do corpo. Quando não há produção suficiente desta substância, a glicose deixa de ser distribuída para os órgãos e sai pela urina. A insulina permite que o açúcar entre nos tecidos para ser utilizado como energia ou armazenado na forma de gordura. As células do pâncreas funcionam como um glicostato. Se há muito açúcar no sangue, elas liberam mais insulina, e liberaram menos quando este chega ao nível normal, explica Carpinelli.

O controle do açúcar no sangue é importante porque, na falta dele, a pessoa sente tonturas, mal-estar, confusão mental e pode até entrar em coma. Se houver excesso, a pessoa fica cansada, perde peso, urina muito, bebe muita água, podendo também entrar em coma diabético. Apesar do estudo ter sido feito em ratos, os resultados em humanos devem ser semelhantes. Grande parte das pesquisas sobre a secreção de insulina realizadas em ratos acabam por se confirmar no ser humano, explica o pesquisador. Carpinelli, que desenvolve pesquisas há 18 muitos anos com alimentos e secreção de insulina, diz que os resultados da pesquisa com óleos de soja e oliva confirmam sua opinião à respeito do controle de muitas doenças através de boa alimentação combinada com exercícios físicos, minimizando a utilização de drogas.

Departamento de Fisiologia e Biofísica do Instituto de Ciências Biomédicas da USP

Fonte:
USP Notícias

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *